Com tabela Dinamite e Eurico, votação das contas é adiada

 
Em reunião que durou menos de duas horas na sede náutica da Lagoa, o Conselho Deliberativo do Vasco decidiu pelo adiamento da votação das contas de 2012 do clube. O pedido da prorrogação do prazo foi feito pelo presidente Roberto Dinamite e teve a anuência de Eurico Miranda, que defendeu o novo período favorável à atual diretoria. Por maioria de votos, os votantes concordaram com os 60 dias de prazo para que a diretoria reapresente as contas do balanço financeiro, que receberam parecer de reprovação do Conselho Fiscal. A nova reunião pela votação das contas acontecerá em 14 de abril.

Não foi a primeira vez que Dinamite e Eurico, presidente do Conselho de Beneméritos do Vasco, deram as mãos em reunião de aprovação de contas. No ano passado, quando foi a julgamento o balanço de 2011, o presidente pediu 60 dias e o ex-presidente concordou com a metade do prazo. Depois, em fevereiro de 2013, as contas terminaram aprovadas, com ressalvas, pelo Conselho Deliberativo.

Segundo Dinamite, “80% das pendências já haviam sido regularizadas”. Eurico, que um dia antes disse que votaria pela reprovação das contas junto com o Conselho de Beneméritos que preside, comentou que o Conselho Fiscal fez parecer muito forte com série de irregularidades. 
– O primeiro a ser procurado na reunião de hoje foi presidente do Conselho Fiscal (Hélio Donin). Foi passado que iam resolver as irregularidades. Ele (Dinamite) fez pedido pessoal e disse que ia sanar as irregularidades – disse Eurico Miranda.

O presidente do Vasco disse que os problemas das contas de 2012 estão sendo resolvidos. E garantiu que tudo será organizado para ser apresentado até 14 de abril de 2014.

– Houve um entendimento nesse sentido. Não estou pedindo para aprovar o que está errado. Estamos resolvendo uma demanda do Conselho Fiscal e muita coisa já está sendo resolvida – disse o presidente do Vasco.

Apesar do acordo informal entre Dinamite e Eurico, a reunião foi turbulenta. Líder da Cruzada Vascaína, Leonardo Gonçalves pediu a palavra ao presidente do Conselho Deliberativo, Abílio Borges, e pediu a renúncia do presidente Roberto Dinamite. O ex-vice-médico Pedro Valente e o membro do Conselho Fiscal João Amorim também protestaram contra o novo prazo.

– Eurico disse que ia contra todos os beneméritos, mas que considerava razoável o novo prazo. Infelizmente o presidente do Conselho Fiscal, Hélio Donin, não teve pulso. E o Dinamite, que disse que pedia o prazo em nome da figura dele, se se importasse com a figura dele já tinha pedido a renúncia há muito tempo – afirmou o líder da Cruzada Vascaína.

Parecer apontou graves irregularidades

O trabalho Conselho Fiscal apontou “inconsistências graves”, “erros primários” e “completo descontrole financeiro da tesouraria”, segundo termos que constam no relatório apresentado aos conselheiros. No total, o conselho encontrou 84 registros de gastos sem comprovação de documentos. Ou seja, o dinheiro saiu do clube, mas não há nota fiscal. Há outras pendências “inadmissíveis”, de acordo com mais uma expressão do relatório. E a soma não é barata: R$ 3.092.022,37.

São mais de R$ 3 milhões em 84 operações contábeis do Cruz-Maltino. O presidente do Conselho Fiscal, Hélio Donin, explicou que havia os erros originais eram ainda maiores. Mais de 400 operações não tinham registros de documento. Em 15 de maio do ano passado, a diretoria publicou uma nova versão do balanço com correções e somente no dia 23 de setembro o Conselho Fiscal recebeu novos documentos para várias operações que não tinham seu destino explicado.
Fonte: Globo.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠