Casaca divulga nova nota sobre recadastramento de associados

Cerco aperta para o MUV e seus síndicos 
 
Como esperado, a tal comissão já teve que mudar o discurso. 
 
A carta ameaçadora enviada aos associados do Vasco (e que tem como prazo irrevogável dia de semana em horário comercial), diante das próprias declarações de um dos sindicantes, terá, EVIDENTEMENTE, que ser mais flexível quanto às exigências, ou se preferirem, ameaças. 
 
Vale aqui uma pergunta: Em que lugar estão depositados os quase dois milhões de reais recebidos pelo clube ao longo dos últimos 11 meses e que por força ESTATUTÁRIA não poderiam ser utilizados para pagamentos de contas e afins, caso os associados dos meses de março e abril não tivessem sido aceitos no quadro social do clube. (vide art. 14 §1º do estatuto do clube)? 
 
Vale ressaltar que a direção do Vasco descontou inúmeros cheques, descumprindo o estatuto de forma comprovada. 
 
Vale também destacar que todos os associados do clube, que adentraram no quadro social entre março e abril de 2013, possuem matrícula de sócio. 
 
O art. 14 do estatuto do Club de Regatas Vasco da Gama foi cumprido pelo associado do clube e o próprio clube não terá cumprido o §1º do mesmo artigo, caso insista em considerar como não associados os já associados e matriculados no clube. 
 
Art. 14 §1º – As importâncias de que trata o presente artigo ficarão EM DEPÓSITO e serão devolvidas, desde que não aceita a proposta… 
 
O parágrafo 1º do artigo 14 não está lá à toa. Há um motivo. INIBIR que o clube retenha pagamentos dos que se inscreveram no quadro social, por muito tempo. Em 1979, ano da finalização daquele estatuto, a inflação no Brasil era galopante. A taxa de inflação anual chegou a 79,42%, enquanto no ano seguinte se aproximou dos 100% ao longo de 12 meses. O estatuto do clube não foi feito de forma desconexa à realidade da época e nele não é previsto atualização de valores na devolução da quantia depositada no clube pelos que se inscreviam nele. 
 
Ademais seria um desvio de conduta receber mensalidades por meses a fio, matricular quem adentrou no quadro, utilizar verbas pagas e depois simplesmente querer passar por cima disso tudo, inclusive por cima do estatuto. 
 
Observem ainda que o art. 14, em seu parágrafo 1º, não menciona devolução do pagamento de mensalidades, para além da primeira, portanto, considerando que o estatuto do Club de Regatas Vasco da Gama não foi elaborado com finalidade criminosa, qual seja, a de aceitar o recebimento de valores que dão em contrapartida um direito a ser usufruído (sem devolução prevista do valor), e posteriormente negar que tenha sido dado este direito ao pagador, tem-se como óbvio que a conduta tanto da comissão de sindicância, como do presidente do clube, que assina a carta, como ainda de quem a elaborou, falando em devolução de valores totais dispendidos, é ato que fere o próprio estatuto. 
 
Além disso, a desconsideração do associado – que pagou e teve aceito por parte do clube valores mensais referentes a contribuições previstas no estatuto do próprio clube (mensalidades) – como tal, por parte do clube, é burla clara do estatuto, mais uma vez. 
 
Por fim, vale afirmar que embora os sindicantes tenham tentado se impor junto à SECRETARIA do clube, forçando uma barra para caracterizar a salinha da vergonha, FORA DA SECRETARIA DO CLUBE, como “Posto avançado da Secretaria” – quando na verdade é simbolismo do que há de mais retrógrado na história do Vasco, A DISCRIMINAÇÃO – não obtiveram sucesso no seu intento. 
 
Tranquilizamos os associados do clube, discriminados por essa comissão de sindicância. Continuam eles com o direito estatutário de resolver suas questões ou pendências na SECRETARIA, direito garantido por ordem SUPERIOR, pois como os sindicantes devem saber (desconfia-se), a tal comissão atua SUBORDINADA AO DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÕES. 
 
Permanece, portanto, sendo a SECRETARIA do CLUB de REGATAS VASCO da GAMA, o local de entrada do sócio no clube para que resolva qualquer tipo de pendência, ou para que protocole cartas e declarações, que entender pertinentes, ao próprio clube. 
 
Continuaremos em defesa dos direitos dos associados, já cientes que somos de que as atitudes preconceituosas e disformes da grandeza do nosso clube, nada mais são do que aquilo que resta para a gestão MUV/Dinamite, antes desta ser defenestrada do Club de Regatas Vasco da Gama, junto a seus penduricalhos e afins. 
 
Reiteramos que aqueles associados que receberam ou vierem a receber a infeliz carta do clube devem comparecer à SECRETARIA do Vasco, na sede de São Januário, trazendo novamente consigo: 
 
Xerox da carteira de identidade 
Xerox do CPF 
Xerox do Comprovante de Residência 
 
Além disso, deve ser protocolada uma declaração do associado, na qual este fará constar que compareceu naquela data com os itens acima, solicitando ainda a entrega da carteirinha paga há cerca de 10, 11 m
eses ao clube. 
 
Estaremos, no sábado, de 09 às 12 horas, em frente ao portão principal da Sede de São Januário com o fim de orientar os associados do clube para o procedimento junto à secretaria, solicitando mais uma vez que o associado traga consigo os itens indicados acima para que tal procedimento possa ser feito. 
 
Nessa data o Casaca! colherá depoimentos e fotos dos associados que lá comparecerem, inclusive aqueles que tiverem inadvertidamente ido a tal salinha do portão 19, a fim de que contem sua experiência, quanto à discriminação sofrida, promovida esta pelos atuais “dirigentes” do Vasco, que envergonham nosso clube. 
 
Equipe Casaca! 
 
Fonte: Casaca

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠