Adilson divide mérito após triunfo e avisa: 'Importante era vencer'

Depois de dois resultados indesejados, o Vasco contou com a estrela do técnico Adilson Batista para se reabilitar no Campeonato Carioca. Com gols de dois jogadores que saíram do banco de reservas (Thalles e Montoya), o Cruz-Maltino bateu o Bangu por 2 a 0 na tarde desta quarta-feira, em Moça Bonita. Quase sem voz após a partida, o comandante vascaíno fez questão de dividir o mérito do triunfo com seus jogadores.

– Erramos muitos passes no primeiro tempo. Não sei se foi o calor ou o gramado. Mesmo assim criamos três boas chances. No segundo tempo, erramos pouco e fomos eficientes. Mas o mérito é dos jogadores. Não é meu só porque os reservas entraram e decidiram. O Thalles vem buscando seu espaço, o Montoya também entrou muito bem. Eu precisava de um jogador aberto como ele naquele momento – resumiu o treinador, brincando ainda com a voz rouca que acabou por abreviar a entrevista.

– Pode ter sido o ar-condicionado, o calor… Agora é gargarejo e descanso. Com vinagre? Pode até ser…

 
Adilson Batista Vasco (Foto: AE)

Com o resultado, o Vasco chegou aos 18 pontos e alcançou a terceira posição do Campeonato Carioca pelo menos até essa quinta-feira, quando a Cabofriense encara o Bonsucesso. O elenco vascaíno se reapresenta no mesmo dia, às 16h, em São Januário. A equipe volta a campo no próximo domingo para enfrentar a mesma Cabofriense, às 18h30m (de Brasília), em São Januário.

Confira a íntegra da entrevista de Adilson:

Setor defensivo

– Passamos por algumas situações durante o jogo que não podem ocorrer. Eles conseguiram criar boas oportunidades. Ao menos soubemos evitar os gols e saímos de campo sem ter a defesa vazada.

Opções no banco

-É importante ter um leque de opções no banco. Thalles e Montoya entraram bem. No jogo anterior eu elogiei o Pedro Ken e cobrei alguns jogadores. Hoje temos que enaltecer e elogiar novamente. É importante ter jogadores com características diferentes para mexer no time. Eles têm mérito nisso.

Reabilitação

– Foi importante para os nosso objetivos. Perdemos a invencibilidade no clássico e já tínhamos jogado fora pontos que estavam na nossa mão. Foi assim no primeiro jogo, no antepenúltimo, no último… Temos consciência de que as coisas fluíram e a equipe melhorou. Tivemos dificuldades, mas o importante era vencer.

Gramado

– Claro que atrapalha. Mas atrapalha menos quem tem habilidade. Mesmo sem as melhores condições, o bom jogador consegue se virar, pensa mais rápido. Douglas tentou de tudo. Claro que era difícil dar uma acelerada por causa das imperfeições. Mas ele é um jogador diferenciado.

Conjunto

– Tivemos de 13 a 14 chances para concluir em gol. O processo de recomposição também foi bom. Isso é importante e tem nos ajudado. Temos que enaltecer.

Douglas Silva

– Vamos esperar a diretoria apresentar ele primeiro. Depois eu falo sobre o jogador.

Everton Costa

– Ele sentiu no início e chegou a pedir para sair. Depois preferiu terminar o primeiro tempo. Vamos avaliá-lo melhor antes de qualquer coisa. O departamento médico vai passar a posição sobre o jogador e em cima disso vamos pensar no jogo com a Cabofriense.

Rodrigo

– Acho que ele não vai poder jogar no fim de semana. É bem difícil.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠