Adilson lembra rodízio de chances e diz que Dakson merece oportunidade

Dakson vasco (Foto: Raphael Zarko)

 

Não deixa de ser uma surpresa a escalação de Dakson no time titular do Vasco para a partida contra o Resende. De todos jogadores do setor ofensivo, o meia, que substitui o suspenso Fellipe Bastos, era o único que sequer havia entrado em campo no time de Adilson Batista em 2014 – Dakson ficou apenas quatro vezes no banco de reservas este ano. Aliás, quando o jogador se lesionou no início de outubro de 2013, o atual treinador do Vasco ainda estava longe de São Januário – o técnico no Brasileiro ainda era Dorival Júnior.

O técnico vascaíno justificou a escalação do meia ao lado de Douglas como parte natural do rodízio de oportunidades que vêm dando aos jogadores do time. Ele citou as chances de Bernardo, de Montoya, de Everton Costa, que está novamente lesionado, e de William Barbio, que chegou a substituir Dakson no treino desta segunda em São Januário.

– Dakson é um atleta que o torcedor já conhece, teve uma lesão importante ano passado, não tive a oportunidade de vê-lo melhor, mas fez ótima pré-temporada e amanhã (quarta) vai ter a sua primeira oportunidade no time. Ele faz parte do grupo, trabalhou bem o tempo todo e mereceu a chance – disse o treinador.

Embora sempre ressalte que ficou satisfeito com a produção de jogadas no último jogo em São Januário – foram 21 finalizações na derrota para a Cabofriense por 2 a 1 -, o treinador concorda que o estilo de toque e de passes em profundidade pode melhorar a ligação com o ataque. Nos treinos antes da partida das 19h30 contra o Resende, Dakson se alternou com Douglas e encostava nos atacantes Reginaldo, que recuava mais constantemente, e Edmilson.

– Ele (Dakson) não está entrando pela dificuldade que tivemos no último jogo em São Januário. Acho que fizemos bons jogos em casa, criamos bastante, tivemos posse de bola, mas realmente empatamos e perdemos algumas partidas. A mudança passa também por observação do adversário, pela postura da outra equipe. Conheço o Ailton (técnico do Resende, ex-jogador), foi meu companheiro no Grêmio e estou mexendo de acordo com o que vi também neles – lembrou Adilson Batista, campeão brasileiro ao lado do ex-volante em 1996.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠