Horta pode não concorrer à presidência do Vasco

 Fernando Horta com a rainha de bateria Juliana Alves / Alex Palarea/AgNews                              Fernando Horta ao lado da rainha da bateria Juliana Alves

 O título da Unidos da Tíjuca no Carnaval  poderia influenciar as eleições no Vasco, ainda sem data para acontecer, este ano. Isso porque um dos pré-candidatos é Fernando Horta, presidente da escola tijucana. Apesar de prometer que só falaria do Gigante da Colina depois do desfile as campeãs, no sábado, Horta disse ao Portal da Band que ainda vai “pensar” sobre a possibilidade de candidatura. O tom, porém, é de desistência.

“O que vem me levando a pensar é minha questão particular. Tenho muitos compromissos com a Unidos da Tijuca e até fora do país. É isso que está me deixando um pouco pensativo”, disse Horta, que chegou a lançar uma chapa com Pedro Valente, ex-vice médico do clube, e o empresário Jorge Salgado. “E o Vasco ainda nem sabe quando serão as eleições”, completou.

A expectativa dos vascaínos na apuração dos desfiles deste ano era justificada pelo possível peso do resultado do Carnaval na votação para presidente. Uma vitória da Tijuca, como aconteceu, poderia fortalecer Horta não só na escolha do seu nome para encabeçar a chapa, mas também nas eleições. A exposição dos dias de Carnaval poderia garantir a Horta uma popularidade que poucos presidentes de escola de samba contam ultimamente.

Mas Horta, falando na terceira pessoa, nega que sua vitória na Marquês de Sapucaí ecoe em São Januário.

Fonte: Band 

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠