Presidente da Ferj ironiza e sugere mudança de Vasco, Fluminense e Flamengo para São Paulo


Rubens Lopes discursa na Ferj após ser reeleito / Erbs Jr./Frame/Folhapress

 

Em seu discurso logo após ser aclamado presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), Rubens Lopes, reeleito para o posto nesta terça-feira, fez questão responder Flamengo, Fluminense e Vasco. O trio de rebelados emitiu uma nota conjunta criticando a administração da entidade e fazendo várias reivindicações. Uma delas, que pede a redução de 10% para 5% das taxas cobradas pela Ferj, ganhou resposta irônica.

“Eles querem taxa de 5%, como é São Paulo. Então por que não se mudam para lá?”, questionou Lopes, na sede da Ferj.

O cartola lançou críticas principalmente a Roberto Dinamite, que chegou a assinar apoio à sua candidatura, mas que se aliou a Flamengo e Fluminense na véspera da eleição desta terça. “Não conseguimos arcar com os custos do Vasco, que nos deve R$ 1,2 milhão”, disse o dirigente, ao comentar os R$ 780 mil arrecadados pela Ferj.

Cada um dos itens do comunicado do trio foi rebatido, isso depois de um discurso inflamado, em que Lopes pediu que sejam mantidas as “regras do regime” instituído.

“Todas as matérias foram discutidas e aprovadas por todos, incluindo Flamengo, Fluminense e Vasco, antes de entrarem em vigor, apesar de nem sempre coincidirem com o desejo de todos”, defendeu-se o presidente, que recebeu o apoio somente do Botafogo entre os grandes.

“Não podemos ter um regime anárquico, em que pessoas queiram fazer valer a vontade a qualquer custo, ignorando a maioria”, declarou Lopes, que, por fim, acenou com a possibilidade de fazer as pazes com os rebelados.

“Espero que eles venham à Federação para apresentarem seus projetos. Mas sem egoísmo de olhar só para o próprio umbigo”, disse.

Fonte: BAND.com.br

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠