Reunião é convocada e eleição do Vasco pode sair. Candidatos se alfinetam

 

Conforme já era aguardado, o presidente da Assembleia Geral do Vasco, Olavo Monteiro de Carvalho, convocou os cinco poderes do clube para a reunião da Junta Deliberativa na próxima segunda-feira, dia 17. No encontro, além da apuração e levantamento do número de sócios elegíveis, poderá ser definida a polêmica data da eleição cruzmaltina.

Há uma forte tendência de que ela seja antecipada em função das suspeitas de mensalão no quadro de sócios do clube. Em abril de 2013, uma associação em massa de mais de três mil pessoas gerou acusações de que candidatos à presidência estariam financiando tais inscrições em troca de votos. Caso o pleito aconteça antes de agosto, tais “mensaleiros” não estarão aptos a participar da votação.

Candidato à presidência, Eurico Miranda falou em irregularidade na convocação da Junta Deliberativa:

“Esta convocação tem o objetivo claro de impedir que os sócios que entraram não tenham direito ao voto”, disse ao UOL Esporte.

Eurico, inclusive, avisou que tomará medidas em relação ao fato, mas não detalhou de que forma elas serão feitas.

“É evidente que não vou concordar. Eu não sou criança. O que vou fazer vocês (imprensa) irão saber”, destacou fazendo mistério.

O candidato Nelson Rocha se mostrou tranquilo quanto a convocação e aproveitou para alfinetar quem está preocupado com a reunião.

“Quem não deve não teme. Espero que seja preservado o direito de cada sócio de escolher o seu próprio candidato. Espero também não ter o mensalão vascaíno, que é um desrespeito com a história do clube. Acho que a Assembleia  tem toda a legitimidade para antecipar as eleições em face dos acontecimentos”, ressaltou.

Nesta terça-feira, ao UOL Esporte, o candidato Roberto Monteiro fez apenas ressalvas quanto a reunião da Junta Deliberativa na próxima segunda:

“A princípio, acho que a Junta pode se reunir a qualquer momento. Não vejo problema nenhum,  até porque o cadastro do clube ainda é bastante tumultuado. O objetivo, num primeiro momento, é dar anuência e base de dados ao pleito. A questão é a data que vai ser colocada. Vamos  ver os argumentos, os critérios e o objetivo. Ou a data é estatutária ou obedece o prazo estabelecido pela Justiça. Ela não terá respaldo se for antecipada”.

Fonte: UOL Esporte

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠