Reunião no Vasco termina sem eleição definida e com protesto de Eurico

 

A aguardada reunião da Junta Deliberativa, que ocorreu na manhã desta segunda-feira, frustrou quem esperava por novidades referentes a eleição do Vasco. No encontro, marcado por um protesto por escrito do presidente do Conselho de Beneméritos e candidato à presidência, Eurico Miranda, uma lista provisória de elegíveis foi apresentada, mas ainda será apreciada e poderá sofrer alterações para mais ou para menos. Desta maneira, a data do pleito não foi marcada e uma nova reunião acontecerá, embora ainda não tenha sido agendada.

A Junta foi formada pelo presidente da Assembleia Geral e responsável pela convocação, Olavo Monteiro de Carvalho,e pelos presidentes do Vasco, Roberto Dinamite, do Conselho Fiscal, Hélio Donin e do Conselho Deliberativo, Abílio Borges, além do de Beneméritos, Eurico Miranda, que deixou claro que o encontro, feito à portas fechadas, realizou poucos avanços.

“Não aconteceu nada. Você acha que esse tipo de coisa é feita ‘nas coxas’?  De qualquer maneira não poderia ser. Uma lista de elegíveis foi apresentada, mas quem decide é a Junta e ela tem que ser analisada. Depois de analisada, todos têm de estar de acordo”, argumentou ao UOL Esporte.

Presidente do Conselho Deliberativo, Abílio Borges também seguiu a linha de Eurico Miranda e reforçou que alterações poderão acontecer na lista de elegíveis:

“Foi uma apresentação. Uma lista de elegíveis que, talvez, ainda falte alguma coisa. Foram apresentadas varias discussões e teremos uma nova reunião ainda sem data marcada”.

Tema mais polêmico que envolve as eleições até aqui, o possível caso de mensalão, quando mais de três mil pessoas entraram como sócias em abril de 2013, não foi levantado em discussão, segundo Abílio. Tal fato mantém o mistério se tais eleitores poderão participar ou não do pleito de 2014.

“Este assunto não foi discutido oficialmente”.

O capitulo à parte da reunião foi o protesto por escrito apresentado por Eurico Miranda em função de não concordar com o encontro desta segunda-feira.

“Eu apresentei que não concordo com essa convocação antecipada e ressaltei que a marcação da eleição deve ser feita somente em maio”, disse o candidato à presidência, acusado de ser um dos beneficiados pelos possíveis “mensaleiros”.

Com praticamente nenhuma definição, de acordo com os envolvidos, a expectativa agora é por uma nova convocação da Junta Deliberativa que tem de ser feita pelo presidente da Assembleia Geral, Olavo Monteiro de Carvalho.

Fonte: UOL Esporte

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠