“Vascaíno assassíno” que bombou foi inventado apenas para trollar emissora

 

“Vou matar aqueles caras ali e vai ser 58 a 0 para o Vasco”. Uma simples entrevista de um torcedor anônimo, se dizendo morador do pequeno município de Orobó, no interior de Pernambuco, virou febre na internet e atingiu o primeiro lugar no quadro “Top Five” do programa CQC. O que poucos sabem, porém, é que o vascaíno em questão não passa de um personagem criado por Luiz Henrique Harvok, de 21 anos.

Oriundo de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, ele nunca nem passou perto da região pernambucana. Sua farsa foi inspirada no pai de um amigo, este, sim, natural do local. O jeitão nordestino aliado ao raciocínio rápido nas respostas lhe renderam uma fama repentina na internet que hoje atinge mais de três milhões de visualizações no Youtube e mais de 17 mil curtidas na página que criou no Facebook para interagir e divulgar seus vídeos, onde interpreta o “Luiz de Orobó”.

“É um personagem. Eu brincava com o pessoal aqui da área desde sempre. Na roda de amigos, sempre foi a graça de geral. Eu apresento festa com essa voz. Quando o rapaz da Band foi falar comigo em São Januário, pensei: ‘Vou ter que gastar (zombar) esse maluco’. Aí ele veio me entrevistar e eu comecei a falar”, se recorda do episódio que ocorreu na partida entre Vasco e Vila Nova, válido pela Série B de 2014.

Engana-se, porém, quem pensa que a facilidade com as câmeras é fruto de algum tipo de curso de teatro. Luiz garante que jamais quis seguir a carreira de ator e interpreta o personagem por diversão. Atualmente, está com sua faculdade de Engenharia trancada por problemas particulares e trabalha num orfanato.

A popularidade dada à Orobó, no entanto, já lhe rendeu até mesmo um convite para conhecer a cidade.

“Um rapaz de lá me abordou no Maracanã e, depois de descobrir que eu era um personagem, ele queria me levar lá. Eu nunca fui nesta cidade. Sabia que existia, mas não conheço”, lamentou.

Mas se por um lado a repercussão da entrevista lhe deu popularidade, houve também quem o criticou por dizer, mesmo que de brincadeira, que iria matar os jogadores do Vila Nova.

“Tem sempre alguém para fazer uma crítica. Na TV, o que mais passa são coisas erradas. Quem tem noção do que é humor, sabe distinguir”, se defende.

No Maracanã, invasão ao vestiário e tietagem dos jogadores

Luiz Henrique não conseguiu ludibriar somente o repórter e os telespectadores. Na partida que garantiu o acesso do Vasco à Série A, contra o Icasa, no Maracanã, ele conseguiu dar um jeitinho e entrou no vestiário cruzmaltino após o jogo.

Tão logo adentrou o restristo local, interpretou Luiz de Orobó e foi rapidamente tietado pelos jogadores.

“Eu ia gravar uma matéria para a Band. A menina do Maracanã não tinha ingresso e me deu um crachá da imprensa. Então subimos, gravamos e o pessoal da Band falou: ‘vocês estão liberados’. Daí olhei o crachá e vi que tinha acesso para o campo, para algumas salas e vestiários. Então pensei: ‘já que estamos aqui, vamos tentar’. Consegui entrar e aí já dei de cara com os jogadores. O Edmilson falou: ‘Vamos ganhar de 58 a 0? Você vai matar todo mundo?’. O Pedro Ken também veio falar comigo e pediu para tirar fotos. Foi muito legal’.

A pedido da reportagem, o vascaíno encarnou o personagem e deu um recado ao novo presidente do clube, Eurico Miranda:

“Meu mano Eurico Miranda, esse cabra que parece até o cabra da Família Dinossauro. Eu gosto dele. O Dinamite explodiu o Vasco, se ele (Eurico) não consertar o Vasco, ano que vem eu que irei explodi-lo, porque o Vasco tem que ser grande, muito campeão e não pode ficar lá embaixo. E se você (repórter do UOL Esporte) ficar rindo, vou te matar também. Não fique rindo para mim. É isso aí. Torcida do Vascão, estamos juntos ano que vem! Se o Vasco não for campeão da Libertadores, eu vou sequestrar o Eurico Miranda e eu que vou ser técnico e dono do Vasco”.

Fonte: UOL Esporte

Notícia anteriorVasco quer resgatar Matheus Índio, mas esbarra em interesse de investidores
Próxima NotíciaRodrigo Caetano diz que Douglas teve passagem 'com louvor' no Vasco