Sem previsão de julgamento, Rafael Silva pode cumprir pena só em 2016

O que poderia ser um problema para o Vasco na reta final do Campeonato Brasileiro pode virar solução: não perder Rafael Silva justamente no momento em que o atacante ganhou a posição de titular no time de Jorginho. Atuando desde o início de outubro sob efeito suspensivo, o jogador ainda tem que ser julgado no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Só que mais de um mês depois, o caso ainda está na fila de processos e não entrou na pauta da última instância. E não há previsão para que isso aconteça. O Pleno se reúne geralmente nas quintas-feiras, de 15 em 15 dias, mas o encontro que seria na semana passada foi adiado e só deve ocorrer dia 19, segundo a assessoria de imprensa do tribunal. Como o nome do atleta cruz-maltino não estava na agenda da sessão postergada, o próximo julgamento em que ele poderia aparecer, seguindo o calendário, seria dia 3 de dezembro, antes apenas da última rodada da competição.

Rafael Silva pegou gancho de quatro partidas por sua expulsão diante do Atlético-MG (relembre no vídeo abaixo) e pelos xingamentos ao árbitro Elmo Alves Resende. Ele cumpriu a suspensão automática e ainda tem que ficar fora de mais três jogos caso a punição seja mantida em última instância. Nesse cenário, o atacante teria que cumprir parte da pena só em 2016 ou em temporadas posteriores em que estivesse no Brasil. Em fim de contrato, o jogador de 25 anos ainda não foi procurado pela diretoria do Vasco para renovar, ficará livre em dezembro e pode seguir para o exterior. A assessoria do STJD, porém, informou que casos podem ser incluídos de última hora em pautas já divulgadas, caso os auditores concordem. A Procuradoria do tribunal espera que a situação do vascaíno seja julgada ainda em 2015.

Procurado pelo GloboEsporte.com na última terça-feira, o presidente do STJD, Caio Rocha, não foi encontrado para comentar a questão. Em comparação com outros casos semelhantes ocorridos recentemente, é possível perceber que o julgamento em última instância dos tribunais esportivos pode demorar após a obtenção de efeito suspensivo por parte do clube. O Flamengo conseguiu liberar Emerson Sheik para jogar no dia 10 de setembro, e o atacante foi julgado no Pleno do STJD em 22 de outubro. Outro exemplo é o Palmeiras, que obteve efeito suspensivo para Dudu dia 22 de maio e teve seu último julgamento no TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo) em 20 de julho – o Alviverde ainda recorreu no STJD, adquirindo novo efeito suspensivo dia 22 de julho, sendo que a sessão no Pleno foi marcada para 10 de setembro, mas o clube antes disso acabou entrando em acordo com o tribunal.

Nesse meio tempo, Rafael Silva já teve que voltar no mês passado ao STJD para responder pela expulsão diante do Avaí, mas desta vez pegou apenas um jogo de punição, já cumprido pela suspensão automática. Contratado em abril de 2014 após ser campeão paulista com o Ituano, o atacante é o artilheiro do Vasco na temporada com 10 gols, um a mais que Gilberto, que deixou o clube no meio do ano. Pelo Cruz-Maltino, ele disputou até agora 59 partidas e balançou a rede 11 vezes, sendo decisivo no título do Campeonato Carioca deste ano, com gols nos dois jogos da final diante do Botafogo, e na classificação para as quartas de final da Copa do Brasil, quando marcou o gol que eliminou o arquirrival Flamengo da competição.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠