Sub-15 e sub-17 contam com um importante aliado na reta final do Estadual


Não é só dentro das quatro linhas que as equipes sub-15 e sub-17 estão bem preparadas para as decisões do Campeonato Carioca. Campeãs da Taça Guanabara no início de julho, as categorias contam com o importante auxílio do Centro de Inteligência e Análise do Vasco da Gama. O departamento foi criado no início da temporada de 2015 com o objetivo de abastecer a comissão técnica do profissional com as mais variadas informações através da análise de padrões e comportamentos táticos do Gigante da Colina e seus adversários.

O trabalho desenvolvido pelo “CIA Vasco”, porém, não ficou restrito apenas ao time de cima. Desde a última edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior, os diversos times da base cruzmaltina estão sendo acompanhados de perto pelos analistas táticos do clube. Os profissionais registram as partidas e utilizam a mesma metodologia aplicada no profissional, de acordo com a complexidade exigida em cada uma das categorias. O banco de dado deste ano conta com mais de 600 jogos, sendo mais da metade das equipes inferiores.

– O Centro de Inteligência e Análise do Vasco foi criado com o objetivo de auxiliar na construção de uma identidade do Vasco através da análise de jogos. Nossa equipe conta com nove analistas táticos, que se dividem no acompanhamento de jogos das categorias sub-13, sub-15, sub-17 e sub-20, além do profissional. São produzidas informações coletivas e individuais das equipes do Vasco e de todos os seus adversários. As informações são compartilhadas com a comissão técnica e a diretoria através de um canal de fácil acesso à todos. Filmamos, produzimos compactos e relatórios sobre as partidas e atualizamos nosso banco de dados – disse Pedro Monteiro, coordenador do CIA Vasco.

20151118122530_663

Adversários a partir do próximo fim de semana, o Fluminense, no sub-15, e o Flamengo, no sub-17, foram observados de perto em pelo menos 20 partidas nesta temporada, incluindo a Taça Belo Horizonte, onde o juvenil rubro-negro teve seu melhor desempenho na temporada, e a Copa da Amizade Brasil-Japão, torneio que marcou a reconstrução do time infantil do tricolor. O relatório dos rivais já foi concluído e está à disposição dos treinadores Mário Jorge e Marcus Alexandre. Por conta do bom trabalho, o CIA Vasco tem recebido elogios.

– Nos últimos dois fins de semana, não tivemos jogos. Por isso, nos organizamos para ver as partidas decisivas da Taça Rio. Acompanhamos os jogos do Fluminense contra o Botafogo e o Nova Iguaçu. Esse trabalho, entretanto, não é só nosso. O pessoal da análise entrega o compacto e o relatório dos adversários sempre com antecedência. Acho esse trabalho de fundamental importância, até porque quanto mais informações tivermos do nosso próximo rival, mais capacidade temos de construir um esquema tático de sucesso. Esse processo nos ajudou ao longo de toda a temporada, não só agora – afirmou Mário Jorge, treinador da equipe sub-15.

O trabalho desenvolvido pelo CIA Vasco é de extrema importância também para facilitar a transição de uma jovem promessa para o time profissional. Por conta da existência de um banco de dados específico para as divisões de base, a comissão técnica, hoje liderada pelo treinador Jorginho, sabe quais são as características dos jovens jogadores e qual deles podem ser importantes num determinado momento da temporada. O mesmo ocorre nas demais categorias atendidas Centro de Inteligência e Análise do Gigante de São Januário.

20151118113841_100

Fonte: VASCO.com.br

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠