Torcidas de Corinthians e Vasco que já brigaram não poderão ver ‘decisão’

Protagonistas de uma pancadaria generalizada em agosto de 2013 nas arquibancadas do Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), as organizadas “Gaviões da Fiel”, do Corinthians, e “Força Jovem”, do Vasco, estão proibidas de entrar em São Januário na partida entre os clubes nesta quinta-feira, às 22h.

As determinações partem do Ministério Público e do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe). No caso dos corintianos, a punição vale somente para o Estado do Rio de Janeiro e se dá por conta de uma blitz realizada pela Polícia Militar há dois anos onde foram encontrados materiais nocivos dentro de um dos ônibus da torcida.

“A Gaviões está punida no Rio de Janeiro e não poderá entrar no estádio com nada que os identifique. Isso porque há dois anos, um ônibus da torcida foi revistado em Piraí (RJ) e encontramos pedaços de madeira, barras de ferro e ouros objetos perigosos. Sendo assim, eles não poderão utilizar camisa ou bandeira da torcida”, informou o major Silvio Luiz, comandante do Gepe.

Já o gancho dos vascaínos é válido para todo o território brasileiro e se dá por um somatório de confusões. A principal delas foi a barbárie cometida em dezembro de 2013, em confronto com torcedores do Atlético-PR,  na Arena Joinville (SC). Em seguida, eles tiveram a suspensão prolongada em função de uma confusão com torcedores do Fluminense já em 2014.

A punição, a princípio, será válida até o fim de 2016, mas a Força Jovem tentar entrar em entendimento com as autoridades para reduzir a pena. Uma das medidas neste sentido foi estabelecer um pacto de paz entre os grupos opositores dentro da própria organizada que vinham se enfrentando em jogos do Vasco e estavam obrigando a Polícia Militar a realizar um esquema especial de segurança para separá-los.

“Tínhamos que ter uma preocupação porque quando esses grupos da Força Jovem se encontravam, brigavam. Nós continuamos dando uma atenção, mas realmente eles se acertaram e não estão, num primeiro momento, brigando mais. Vamos acompanhar e esperar que isso se mantenha”, salientou o major Silvio.

De acordo com o Gepe, nesta quinta-feira 180 homens farão a segurança interna do estádio, sendo auxiliados externamente pelo 4º Batalhão da Polícia Militar (São Cristóvão), pela Cavalaria e pelo Batalhão de Choque.

As ruas de acesso ao setor visitante serão isoladas e só será permitida a entrada quem estiver sob posse do ingresso destinado ao local.

Cerca de dois mil corintianos são aguardados em São Januário, o que representará a ocupação máxima da carga de ingressos destinada ao clube.

Quem for identificado com qualquer tipo de material das duas torcidas será impedido de entrar em São Januário. Também estarão proibidas faixas, bandeiras e instrumentos que façam alusão às organizadas.

Alguns dos envolvidos na pancadaria de Joinville ainda estão proibidos de frequentar estádios de futebol no Brasil e precisam comparecer à delegacia no horário das partidas do Cruzmaltino.

Fonte: UOL Esporte

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠