Olho no Peixe, outro no Porco: Vasco terá de se superar e contar com ajuda


O fim de Campeonato Brasileiro vai ser ainda mais dramático para o torcedor do Vasco. Apesar da reação, o time não depende apenas de suas renascidas forças na luta contra o rebaixamento. Não basta, por exemplo, vencer o Santos na próxima rodada e até o Coritiba na última para escapar da queda para a Segunda Divisão. Se o Coxa passar em São Paulo pelos prováveis reservas do Palmeiras, que vai jogar a primeira partida da final da Copa do Brasil contra o Santos – que também deve poupar o time contra o Vasco – nesta quarta-feira, e o Figueirense vencer o São Paulo no Morumbi, os paranaenses e catarinenses atingem 43 pontos. Neste caso, o saldo de gols já inviabiliza que o Vasco deixe a zona de rebaixamento na última rodada. Afinal, teria que tirar a diferença de 14 gols em critério de desempate no confronto direto com o Coxa na última rodada.

O desafio é grande para o time do técnico Jorginho. O primeiro deles: vencer o Santos. Com pior aproveitamento como mandante da competição, o Vasco não vence em casa há quatro jogos – cinco se contar o duelo com o Fluminense no Engenhão. A última vez foi na vitória por 2 a 1 sobre o Sport – no início do returno. Na última rodada, outro aspecto que tem sido problemático para os vascaínos: levar a melhor contra os concorrentes diretos da zona de rebaixamento. É verdade que o time venceu e rebaixou o Joinville, mas nos demais confrontos quase sempre levou a pior.

Os vascaínos podem, porém, se apoiar no retrospecto recente fora de casa. Com Jorginho, o Vasco venceu três adversários como visitante – Ponte Preta, Palmeiras e, por último, o Joinville. Mas para chegar ao Couto Pereira com esperança, vai ter que torcer muito para os dois paulistas, principalmente para o Palmeiras. Outro fator de superação para o Vasco neste momento: até agora, o máximo que o time conseguiu no campeonato foram duas vitórias consecutivas. Para ter mais chances de escapar, além de bater o Santos, precisaria de mais um resultado positivo no estádio do Coritiba. É torcer e secar muito, torcedor vascaíno.

Confira um guia antirrebaixamento para o Vasco não cair:

Em caso de duas vitórias (Santos, em casa, Coritiba, fora) – o Vasco chega a 43 pontos e escapa se o Coxa empatar com o Palmeiras – e, claro, perder para o Vasco -, somando apenas um ponto, o Avaí fizer no máximo quatro pontos, e Figueirense fizer no máximo dois. O Cruz-Maltino ficaria com 43, Avaí e Figueirense com 42, e o Coritiba com 41.

Empate com Santos e vitória contra o Coritiba – o Vasco chegaria a 41 pontos e não cairia se o Coritiba perdesse para o Palmeiras e para o próprio Vasco, evidentemente. Tem que torcer também para o Avaí não vencer mais, somar no máximo dois pontos – com dois empates chegaria a 40. Se o Figueirense perdesse as duas, o Vasco, com vitória sobre o Santos e empate contra o Coritiba, ficaria com 41 pontos, ficando à frente do Avaí, com 40 (na projeção de dois empates), do Figueirense, 40 também, sem somar mais pontos. O Goiás também teria que somar no máximo quatro pontos, pois, se vencer as duas, igualaria os 41 pontos, e ultrapassaria o Vasco pelo critério de desempate.

Vitória sobre o Santos e empate com o Coritiba – O Vasco somaria 41 pontos, mas precisaria da seguinte combinação de resultados. O Avaí poderia fazer no máximo dois pontos, e o Figueirense não poderia somar mais nenhum – teria que perder os dois jogos. O Vasco ficaria com 41, Avaí e Figueira com 40. O Goiás também teria que somar no máximo quatro pontos, pois, se vencer as duas, igualaria os 41 pontos, e ultrapassaria o Vasco pelo critério de desempate.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠