MP-RJ cobra Vasco por melhorias na base, mas clube alega estar adequado

Banheiro da Pousada do Almirante, para jovens jogadores entre 14 e 17 anos (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

O Vasco entrou na mira do Ministério Público do Rio de Janeiro. O órgão foi notificado na última terça-feira de uma ação civil da 12ª Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude da Capital cobrando melhorias nas instalações e condições oferecidas para as categorias de base do clube. Porém, o processo é antigo: a vistoria foi feita em junho de 2010, na época em que ainda existia o Centro de Treinamento de Itaguaí; a ação pedindo antecipação da tutela saiu em abril de 2012 – dois meses depois de um garoto de 14 anos morrer após um mal súbito no CT – e a sentença foi transitada em julgada em julho deste ano. Praticamente tudo antes de o Cruz-Maltino reformar, em junho, a Pousada do Almirante, local que fica dentro de São Januário e passou a abrigar as categorias infantil (sub-15) e juvenil (sub-17).

A ação civil cobra assistência médica, odontológica, farmacêutica, fisioterápica e psicológica aos jovens, além de alimentação adequada por nutricionista e garantia de participação em atividades externas, culturais e de lazer. O Vasco alegou que o local recém-inaugurado já atende a todas estas exigências do MP-RJ. Consultado, o órgão admitiu desconhecer o alojamento e disse que vai programar uma outra vistoria no novo ambiente em breve.

 

Pousada Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

A pousada, localizada no terceiro andar do departamento de futebol, embaixo das arquibancadas de São Januário, recebeu o nome de Amadeu Pinto da Rocha, grande benemérito do clube que faleceu em 2013. O local conta com sete quartos com ar condicionado e espaço para 60 atletas, além de salão de internet, auditório, copa e salas da direção do futebol amador. As obras duraram quatro meses.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠