Rafael Silva ou Jorge Henrique? Briga esquenta por vaga no ataque vascaíno


A redução da pena de Rafael Silva, no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), passando de quatro para apenas um jogo de suspensão, já cumprido, foi a melhor notícia para Jorginho na última quinta-feira. O técnico, que dias atrás testava opções ofensivas temendo perder o atacante no julgamento e então com Jorge Henrique no departamento médico, agora tem uma boa dor de cabeça para resolver. O comandante deve começar a esboçar o Vasco nesta sexta-feira, já que priorizou a recuperação dos titulares nos primeiros treinos da semana. O companheiro de Riascos no ataque, a princípio, é a única posição que ainda não está definida para o duelo com o Santos. Na defesa, Rafael Vaz é o substituto natural do suspenso Luan; e no meio de campo, a tendência é que Serginho siga ao lado de Diguinho.

Jorge Henrique e Rafael Silva jogam na mesma posição, são concorrentes internos, mas coincidentemente marcaram os gols que eliminaram o Flamengo nas quartas de final da Copa do Brasil – o primeiro garantiu a vitória por 1 a 0 no jogo de ida, e o segundo marcou no empate por 1 a 1 no duelo de volta. Jorginho terá que decidir entre a experiência de um e a estrela do outro. Aos 33 anos, Jorge Henrique chegou a São Januário no início de agosto com status de titular, mas desfalcou a equipe por vezes por problemas musculares e suspensões. Até agora disputou 14 partidas com a camisa do Vasco, e o gol sobre o arquirrival foi o único pelo clube por enquanto. O atacante se destaca pela movimentação, velocidade e passe: contra o Joinville, deu a assistência para Riascos fazer o segundo do triunfo por 2 a 1.

Rafael Silva, por sua vez, está mais ambientado em São Januário, onde está desde maio de 2014. Mas a temporada passada foi de pouco brilho para o atacante, que se destacou este ano mostrando ter estrela em jogos decisivos: além do gol sobre o Flamengo na Copa do Brasil, marcou nas duas partidas finais do Campeonato Carioca, contra o Botafogo, e na vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras, durante a arrancada do Vasco no Brasileiro. Mesmo sem se firmar como titular, virou uma espécie de 12° jogador com Jorginho e já entrou em campo 45 vezes em 2015. Das últimas situações em que foi escalado de última hora após adiamentos de seu julgamento no STJD, o atleta de 25 anos fez dois gols no 2 a 2 com o Cruzeiro no Mineirão, em setembro, mas na semana passada passou em branco no 1 a 1 com o Corinthians em São Januário.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠