Vasco mantém risco de queda mesmo após “conspirações” caírem por terra

Antes da rodada do último fim de semana, vascaínos mais ressabiados e até mesmo o presidente do clube, Eurico Miranda, levantaram suspeitas sobre alguns de seus rivais no sentido de prejudicar propositalmente o Cruzmaltino pelos mais variados motivos. Os resultados em campo, porém, fizeram cair por terra as conspirações e o Vasco ainda respira na competição.

A desconfiança por parte do cartola já é levantada desde o empate em 1 a 1 com a Chapecoense, após arbitragem polêmica em que ele foi aos microfones acusar o vice-presidente da CBF e presidente licenciado da federação catarinense, Delfim Peixoto, de estar montando um suposto esquema para manter os times de Santa Catarina na Série A.

No último domingo, porém, o Figueirense, adversário direto do Vasco, recebeu a Chapecoense em casa, com a equipe de Chapecó (SC) já livre da ameaça de queda, e o jogo terminou em 0 a 0, fazendo com que o time da capital seguisse com a corda no pescoço na 16º colocação.

Às 19h30, o rival regional Fluminense enfrentou o Avaí, outro que briga desesperadamente contra o rebaixamento. Por todas as polêmicas que envolveram o clube de São Januário e o Tricolor, vascaínos duvidaram da idoneidade do time das Laranjeiras, principalmente após a declaração do meia Vinícius, dizendo que, se perdesse, “não só a gente como toda a torcida tricolor ficará feliz”.

Em campo, todavia, os cariocas não tomaram conhecimento da equipe de Florianópolis e venceram com autoridade por 3 a 1, ajudando diretamente o Vasco.

Neste fim de semana, que pode, inclusive, decretar o rebaixamento do Cruzmaltino, apenas um jogo se enquadra dentro deste contexto de “teoria da conspiração”: Chapecoense, já de “férias”, contra o Goiás, adversário direto do Vasco, em Chapecó.

Caso o clube de São Januário sobreviva, encontra na última rodada um Figueirense x Fluminense no Orlando Scarpelli (SC), mas Fred, artilheiro e capitão tricolor, descarta qualquer possibilidade de “corpo mole” por parte do elenco.

“Chance zero de ter corpo mole por parte do Fluminense. Quem já jogou futebol sabe que não existe isso, não é ético. A gente está representando milhões de torcedores tricolores. Vamos entrar para ganhar o jogo com dignidade. O Corinthians é o maior exemplo disso, quando venceu com o time reserva o São Paulo”, disse ao programa “Futebol de Verdade”, da Rádio Globo, comandado pelo ídolo vascaíno Juninho Pernambucano.

O Vasco pode ser virtualmente rebaixado já nesta rodada caso Coritiba e Figueirense vençam respectivamente Palmeiras e São Paulo. Isso porque, mesmo que o Cruzmaltino supere o Santos, ficaria a três pontos da dupla, mas com uma diferença de saldo de gols improvável de ser tirada. Atualmente ela é de 13 para o Figueira e 14 para o Coxa.

Fonte: UOL Esporte

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠