Na dependência do Flu, Eurico Miranda diz que não vai polemizar e mantém confiança em permanência do Vasco na Série A


Após um ano marcado por provocações ao Fluminense, a diretoria do Vasco decidiu pôr o pé no freio. Já que o destino fez com que os cruz-maltinos dependessem do time das Laranjeiras para permanecer na Série A, a ordem é evitar qualquer palavra sobre o rival para não haver polêmicas. E o primeiro a mudar de postura foi o presidente Eurico Miranda, quem mais comprou briga com os tricolores em 2015:

— O Vasco vai jogar o jogo dele. O resto não me interessa. Sem conjecturas. Você não vai arrancar polêmica de mim porque só há polêmica quando eu quero. E a minha posição hoje é essa: o Vasco vai entrar em campo para tentar ganhar do Coritiba.

As coincidências na tabela obrigaram os cruz-maltinos a torcer pelo Fluminense nesta reta final. No início do mês, o vice de futebol José Luís Moreira afirmou que ficaria de olho nos jogos do rival e fez questão de lembrar que o Vasco já os ajudou a não cair. A declaração repercutiu mal e, coincidência ou não, o Tricolor perdeu o jogo seguinte, para a Chapecoense, então concorrente dos vascaínos. Desta vez, ele evitou o risco.

— Nós vamos ficar calados, cumprindo a nossa missão, que é jogar domingo — afirmou Moreira, que foi sucinto ao ser perguntado se temia criar polêmica com o rival. — Pode ser.

Apesar de o destino do time passar pelas mãos de Fluminense e Corinthians, ninguém na cúpula vascaína desce do salto. Depois de afirmar que iria para a Sibéria em caso de queda, Eurico se mantém agarrado à convicção de que o time não cai. Na última rodada, o risco de rebaixamento é de 88%.

— Estou confiante desde quando não acreditavam no Vasco — disse o presidente.

Fonte: EXTRA

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠