Vander Carioca vê Vasco forte para final de futebol 7: “Melhores do Brasil”

Vander Carioca é vascaíno de coração e espera ter um domingo especial (Foto: Fabricio Salvador)

Vander Carioca começou a jogar aos sete anos, mas no futsal. Distante da família e com o pai adoentado, aproveitou o convite do Vasco da Gama para fazer algumas partidas no futebol 7 e  ficar perto de casa. Não se vê como líder experiente do grupo que considera ser uma seleção. Mas, com dez anos de experiência internacional no salão, é um dos nomes de destaque do time que decide o Campeonato Carioca de Futebol 7, contra a Cabofriense, neste fim de semana, na arena montada no Colégio Salesiano, em Niterói. O Globoesporte.com transmite os jogos de sábado e domingo, ambos às 11h.

– São modalidades muito diferentes, para mim o importante é não atrapalhar. Antes e durante as partidas, costumo ouvir mais do que falar, o time do Vasco é top, tem os melhores jogadores do Brasil, eles sabem mais do que eu. Apesar dos mesmos fundamentos, o piso é diferente, o tamanho do campo, isso muda movimentação, tática, muda muita coisa – avaliou Vander.

Expulso na final da Taça Rio por ter ido comemorar o seu gol com a torcida no alambrado, Vander não joga o primeiro jogo da final do Campeonato Carioca de futebol 7, mas está pronto para o segundo jogo no domingo.

– Fiquei triste pelo cartão vermelho, claro. Mas estarei lá no sábado com o grupo, no qual ganhei muitos amigos que levarei para a minha vida. Espero poder ajudar no domingo, o time da Cabofriense é muito forte e equilibrado. O treinador Cupim é meu amigo, tive o prazer de jogar com ele. Vai ser uma grande final – comentou.

Torcedor cruzmaltino, Vander Carioca já passou por diversos times em sua carreira no futsal – Social, Vasco, Grajaú, Tio Sam, Flamengo, Atlético-MG, Joinville – e viveu dez anos na Europa, atuando por equipes da Espanha, da Itália e da Rússia.

– Tenho a intenção de voltar para o futsal por mais um ou dois anos. O fut7 está sendo uma ótima experiência, além do momento que tive a oportunidade de voltar para casa. Mas ainda tenho o desejo de voltar para o salão. Certamente, o futebol 7 pode ser um futuro, se me aturarem (risos) – brincou o atleta.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠