Ferj aprova corte de cota de TV à dupla Fla-Flu e exclusão na base


Sem a presença de representantes de Flamengo e Fluminense, uma Assembleia Geral foi realizada no auditório da Federação de Futebol do Estado Rio de Janeiro (Ferj), nesta sexta-feira, com ligas e clubes associados à mesma. Na reunião, ficou decidido que os times que participarem de competições não oficiais em 2016 serão multados com o valor da cota integral de televisão e proibidos de disputar todas as competições de base.

Fla e Flu, decididos a disputarem a Liga Sul-Minas Rio, torneio que ainda não conta com a chancela da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), são os principais afetados por tal decisão. O não reconhecimento por parte da CBF é justamente o que tira da competição o caráter de oficial. A dupla, aliás, já anunciou que disputa o Campeonato Carioca com times alternativos. As informações são do jornal “Extra”.

O novo Regulamento Geral de Competições será divulgado no site oficial da Ferj provavelmente na segunda-feira, mas Flamengo e Fluminense só poderão questioná-lo a partir de 5 de janeiro, pois a federação entrou em recesso nesta sexta-feira.
Procurado pelo GloboEsporte.com, o Flamengo disse que só se pronunciará sobre o tema após as eleição presidencial rubro-negras, marcada para a próxima segunda-feira. O Fluminense também não quis se manifestar sobre o fato.

O racha entre a dupla Fla-Flu e a Ferj ganhou corpo desde o ano passado, quando passaram a se manifestar contrariamente à política praticada em relação a preços de ingressos e gratuidades. No Arbitral realizado em janeiro de 2015, o presidente Eduardo Bandeira de Mello alegou ter sido xingado por Rubens Lopes Filho, mandatário da entidade que controla o futebol carioca. Rubro-Negros e tricolores disputaram o estadual de luto.

No início da atual temporada, clubes paranaenses chegaram a um entendimento para a recriação da Liga Sul-Minas, torneio interestadual disputado em 2000 e 2002. De olho no racha de Flamengo e Fluminense com a Ferj, o trio paranaense convidou a dupla, que prontamente se interessou pelo tema.

Desde que Fla e Flu anunciaram a ruptura, a Ferj declarou guerra aos afiliados. Em outubro, Rubens Lopes Filho tratou a Liga Sul-Minas-Rio como “pirata”. Ainda a classificou como ilegal, inoportuna e injusta. No dia seguinte, Eduardo Bandeira de Mello rebateu, afirmando que “estava morrendo de medo”.

Em Arbitral no mês de outubro, a Ferj definiu a redução da cota de TV para os clubes que disputassem o Carioca com times alternativos. Nesta sexta-feira, novas medidas.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠