Isolado no vestiário, Eurico assiste à queda em cenário melancólico

Eurico Miranda deixa o hotel em Curitiba para o derradeiro jogo contra o Coxa (Foto: Raphael Zarko)

Apoiado por grupo grande da diretoria do clube e aliados políticos, o presidente Eurico Miranda esteve sozinho, mais uma vez, no último capítulo do Vasco na Série A do futebol brasileiro em 2015. Como um ritual dos últimos jogos, o dirigente se isolou no vestiário e assistiu à partida com roupeiros e poucos seguranças no vestiário 2 do Couto Pereira, destinado ao time visitante.

O presidente vascaíno se comportou da mesma maneira nos últimos dois jogos anteriores fora de casa – nas vitórias contra Palmeiras, e Joinville. Sem se expor ao público ou a lentes de fotógrafos e cinegrafistas, Eurico viu sentado no vestiário os preparativos do time e tentou passar força à comissão técnica e jogadores.

Pela manhã de domingo, Eurico foi levado para uma missa em igreja próxima no bairro Batel, na região central de Curitiba. Com dificuldades de locomoção, debilitado fisicamente e às voltas com tratamento para cuidar da saúde, Eurico foi o último a aparecer no saguão do hotel na hora da saída para o jogo. Torcedores e membros de organizadas chegaram a comentar a aparência fechada e frágil do presidente. Internamente, embora poucos comentem o assunto, há expectativa de que Eurico se afaste para fazer tratamento e se licencie do cargo. Nesta tarde, às 15h, Eurico fala pela primeira vez após o rebaixamento. Lentamente, ao deixar o estádio, 1h30 após o fim da partida, apenas disse que daria entrevista coletiva nesta segunda.

 

Eurico camarote (Foto: Raphael Zarko)

A delegação do Vasco ocupou locais distintos no estádio Couto Pereira. Um camarote no setor mais moderno do estádio foi reservado para os vice-presidentes José Luis Moreira, Silvio Godói e Fernando Horta, além de assessores e jogadores não relacionados, como Andrezinho e Aislan. Outro espaço, aberto, bem ao lado da torcida do Vasco, recebeu o presidente do Conselho Fiscal, Otto Carvalho, o vice-presidente de relações institucionais Dênis Carrega Dias, o assessor da presidência, Ricardo Vasconcellos e outros membros do corpo diretivo vascaíno.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠