Cortes no Vasco vão além do futebol para atingir outros setores do clube

Jorginho permanece no Vasco, que vai se modificar muito em 2016 (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

O clima de incerteza entre saídas e chegadas no departamento de futebol também é sentido em outros setores no Vasco. O clube planeja enxugamento do quadro e deve dispensar pelo menos 50 funcionários no fim deste ano. O objetivo é diminuir gastos e conter despesas para o ano que vem – readequação que deveria ser sentida independe da queda para a Série B pela avaliação da direção do clube de que há número excessivo de funcionários.

Total de 80 pessoas tiveram férias antecipadas no fim da semana passada – oficialmente as férias coletivas começaram neste dia 7 de dezembro. A maioria é do departamento de patrimônio e não deve voltar ao trabalho, sendo dispensada pela atual administração. Assim que assumiu o clube, a diretoria organizou mutirão para limpeza e manutenção do clube – este excedente agora vai sobrar numa reorganização de departamentos no Vasco. No departamento de marketing, os quatro funcionários – entre eles o gerente Bernardo Pontes – dificilmente continuam.

No carro-chefe do clube, o planejamento para o ano que vem começou com a manutenção do técnico Jorginho e do auxiliar Zinho. Na mira de correntes políticas contrárias à sua permanência, o gerente de futebol Paulo Angioni não tem presença garantida no planejamento do clube.

– Não sei, a gente não definiu nada. Ele está aí, está no Vasco – limitou-se a dizer o presidente.

Desde a montagem do elenco no início do ano, feita a quatro mãos por Angioni e Eurico Brandão, o Euriquinho, há um clima frio, praticamente sem contatos, entre os dois. O gerente de futebol vem mantendo contato com Eurico e tem relação próximo com o vice-presidente de futebol José Luis Moreira. Por enquanto, não há decisão sobre desligamento. Apenas incerteza.

Por outro lado, o projeto do Centro Avançado de Prevenção, Recuperação e Rendimento Esportivo (Caprres) segue prestigiado e não sofrerá mudanças nem cortes mesmo com a queda de receitas que o clube terá em 2016. O coordenador científico do Vasco, Alex Evangelista, renovou contrato por mais dois anos, e a conclusão do prédio de dois andares e 600m² em São Januário, financiado pela Ambev, segue prevista para abril, sem atrasos.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠