Resumo da Reunião do Conselho Deliberativo – Votação das contas de 2014 – 08/12/2015


Reunião do Conselho Deliberativo 08/12/2015

No dia 08/12/2015 foi realizada uma reunião no Conselho Deliberativo do Vasco para votação das contas de 2014. Pelo estatuto antigo do clube essa reunião deveria ter sido realizada em abril e pelo estatuto novo, em março.

No entanto devido a possibilidade de receber R$ 2.950.000,00 da Confederação Brasileira de Clubes para projetos específicos, nesse caso barcos e aparelhos para o remo, obras no parque aquático de São Januário e parte para esportes paraolímpicos , o Vasco deveria votar e aprovar as contas do exercício anterior.

Seguindo o rito estatutário do artigo 76º, o Conselho Fiscal emitiu um parecer com dois conselheiros Otto Carvalho e Rafael Landa votando pela aprovação com ressalva e o conselheiro Diego Carvalho votando pela reprovação. O parecer de reprovação foi protocolado na secretaria no dia 28/07/2015 mostrando que o viés do parecer é exclusivamente técnico.

A reunião em si aconteceu numa respeitosa vibração por parte de todos, sendo explicada pelo Presidente da Diretoria Administrativa a necessidade de aprovação das contas para o clube estar apto a utilizar essa verba para o remo e parque aquático. O presidente Eurico explicou que esta verba estará disponibilizada numa conta exclusiva na Caixa Econômica federal e será liberada de acordo com as etapas dos projetos.

Em seguida o conselheiro fiscal Diego Carvalho subiu a tribuna para apresentar os pontos do parecer sendo apresentado os pontos da diferença no saldo final do balanço de 2013 para o inicial de 2014, uma diferença no ativo de 54 milhões e a utilização de do Laudo de Reavaliação do imobilizado que é proibido pela Lei, mas o clube o fez e ainda destacou essa ilegalidade no balanço.Somente essas duas ações já seriam mais do que suficientes para um parecer adverso. Foi destacado ainda que o ativo está 100% errado e o passivo pelo menos com 70% de erro, resumindo esse balanço é “uma peça de ficção”. Esse balanço publicado pelo clube não representa o Club.

Dando prosseguimento à reunião, o conselheiro João Marcos subiu à tribuna e destacou que a aprovação desse balanço poderia aprovar por tabela as confissões de dívidas que estão sendo contestadas pela diretoria e isso poderia gerar uma dívida de 10 milhões para os anos seguintes. Ele disse também que os esportes amadores são muito importantes para o clube e que deseja a restauração do parque aquático se comprometendo a estar lá no dia da reinauguração para usufruir deste espaço.

A fala então passou para o vice-presidente de Marketing Marco Antonio Monteiro que explicou mais detalhadamente a necessidade destes recursos e que outros clube no Brasil já estariam se beneficiando deste benefício e montando times melhores. A distância entre os clubes tende a aumentar a partir do momento que o Club não se beneficie destas verbas.

O discurso final ficou a cargo do presidente da Diretoria Administrativa que mais uma vez falou da necessidade desses recursos para esses projetos, mesmo reconhecendo que os pontos levantados pelos conselheiros Diego Carvalho e João Marcos Amorim estavam corretos, mas encaminhou as ressalvas dos conselheiros Otto Carvalho e Rafael Landa e sugeriu a aprovação para o Conselho Deliberativo. O presidente do Conselho Deliberativo então encaminhou a votação para a reprovação das contas ou a aprovação com ressalva, sendo vencedora a aprovação com ressalva.

Vascaínos Unidos Associados

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠