Serginho, garotada e reforços no ataque: Vasco começa a planejar 2016

O Vasco já iniciou o planejamento para o ano que vem. Depois de garantir a permanência do técnico Jorginho e do auxiliar Zinho, o foco agora é trabalhar na montagem do elenco. Do time titular, o único que tem o contrato encerrado no fim do ano é o volante Serginho. A ideia é tentar mantê-lo na próxima temporada, mas sem fazer nenhuma loucura na parte financeira.

Serginho tem contrato com o Atlético-MG até o fim de 2016 e recebe cerca de R$ 120 mil mensais. O Vasco, atualmente, paga menos da metade, e não pretende destinar mais do que isso se ele continuar. Mas Jorginho quer ele.

– Dos jogadores que terminaram o campeonato como titular, só o Serginho não tem contrato. Temos conversado com ele, tentado a permanência. Teremos várias reuniões para decidir a continuidade de alguns jogadores. E nós confiamos nas possibilidades de contratações boas para estarmos com um grupo mais forte na Série B – disse durante encontro de técnicos na CBF.

Em termos de reforços, o setor ofensivo será a prioridade. Por ora, não há negociação em curso, já que a ideia é primeiro decidir quem fica e quem sai para depois contratar. Além disso, o objetivo é trabalhar com um elenco menor no ano que vem, já que em 2015 o grupo estava cheio, com mais de 40 atletas.

– Trabalhamos com 43 jogadores e não é fácil mantê-los ligados o tempo todo. O ideal é ter 30 jogadores, incluindo os goleiros – disse Jorginho.
O objetivo é até sexta-feira já ter diversas situações definidas.

Na pré-temporada, que deve ser definida em Pinheiral nos próximos dias, o Vasco pode contar com o reforço de uma molecada promissora da base. Ao todo, sete garotos devem participar: o goleiro Gabriel Félix, o zagueiro Kadu Fernandes, o volante Andrey, os meias Evander, Mateus Pet e Matheus Índio e o atacante Renato Kayser. As situações de Andrey, Evander e Índio ainda não estão confirmadas. Se não forem, jogam a Copa São Paulo de Futebol Júnior, que é disputada no mesmo período da pré-temporada – início de janeiro.

Neste segundo semestre, Gabriel Félix, Mateus Pet e Renato Kayser treinaram com os profissionais e os dois últimos foram utilizados. Pet uma vez e Kayser, três. O técnico Jorginho explicou como pretende utilizar a garotada da base.

– Alguns jogadores já chegaram ao profissional, como o Mateus Pet, que entrou com uma responsabilidade grande no jogo e foi muito bem. Temos que ter paciência e sabedoria para trazer esses jogadores para o profissional. O Kayser, por exemplo, joga no juniores e também fica com a gente. Isso vai acontecer com alguns jogadores – comentou o treinador.

GUIÑAZÚ E OUTROS COM CONTRATO PODEM SAIR

Alguns jogadores não ficam sem contrato neste fim de ano mas podem deixar São Januário em 2016. Quem encabeça a lista é o volante argentino Guiñazú.

Apesar de ter vínculo até o fim da próxima temporada, ele terminou o ano no banco de reservas e em baixa. Com salário alto (cerca de R$ 150 mil), a tendência é haja uma rescisão amigável, já que o técnico Jorginho não faz questão da permanência dele. O próprio jogador, que faz 37 anos no próximo ano, quer terminar a carreira jogando. O clube agradeceria pelo alívio na folha.

O atacante Herrera é outro que vive uma situação delicada. Insatisfeito por ter ficado fora até do banco na reta final, o argentino não agrada muito ao treinador, tampouco a torcida. O problema é que ele tem contrato em 2016 e um salário que não é baixo. Assim, é possível que o clube tente emprestá-lo.

Sete jogadores voltam de empréstimo: Erick Daltro, Victor Bolt, Sandro Silva, Guilherme Costa, William Barbio, Yago e Erick Luís. Poucos devem ser aproveitados. O volante Aranda também voltaria, mas deve rescindir contrato amigavelmente, pois não é interesse de ambas as partes que ele seja usado.

Fonte: LANCENET!

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠