Elenco do Vasco se prepara para sua quarta reformulação nos últimos anos


Já virou rotina em São Januário: entre o final de uma temporada e o início de outra, o elenco passa por grande reformulação, com contratações ou dispensas em larga escala. Para 2016, o Vasco de novo se prepara para repetir o roteiro: embora o clube esteja tímido nas investidas ao mercado e ainda não tenha fechado com nenhum reforço, a barca está cheia. O clube já anunciou que não vai renovar com 90% dos jogadores em fim de contrato, e outros que voltam de empréstimos podem ter o mesmo destino. A última vez que o Cruz-Maltino permaneceu com a maioria do plantel foi em 2012, quando manteve a base campeã da Copa do Brasil e que ficou em segundo lugar no Campeonato Brasileiro do ano anterior.

Na época, só oito jogadores saíram na virada do ano (o zagueiro Victor Ramos, os laterais Márcio Careca, Julinho e o paraguaio Irrazábal, o volante Jumar e os atacantes Leandro, Elton e Patric); e apenas quatro foram contratados no início da temporada para reforçar um elenco liderado por Dedé, Felipe, Diego Souza e companhia: o zagueiro Rodolfo, o lateral-esquerdo Thiago Feltri, o meia argentino Abelairas e o atacante equatoriano Tenorio. Em 2013, começou com 15 baixas e foi buscar 11 nomes no mercado: o goleiro Michel Alves, o zagueiro André Ribeiro, os laterais Nei, Elsinho e o peruano Yotún, os volantes Sandro Silva e Fellipe Soutto, o meia Pedro Ken e os atacantes Leonardo, Robinho e Thiaguinho.

O Vasco começou 2014 sem 20 jogadores que estiveram na campanha que culminou em seu segundo rebaixamento e foi atrás de dez reforços: o goleiro Martín Silva, os zagueiros Rodrigo e Douglas Silva, os laterais André Rocha, Diego Renan e Marlon, os volantes Felippe Bastos (retornando de empréstimo da Ponte Preta) e o paraguaio Aranda, o meia Douglas e o atacante Everton Costa. Após garantir o retorno à Série A, nova debandada: 15 atletas deixaram São Januário entre dispensas e negociações. Para começar a temporada recém-encerrada, o clube contratou 13 nomes entre dezembro e janeiro: o zagueiro Aislan, os laterais Madson, Bruno Ferreira, Christano e Erick Daltro, os volantes Serginho, Lucas, Victor Bolt e Jean Patrick, os meias Marcinho, Matheus Índio e o paraguaio Julio dos Santos, além do atacante Romarinho.

Dos 43 jogadores que terminaram 2015 no clube, um já está negociado (Romarinho foi para o Zweigen Kanazawa, do Japão) e 13 em fim de contrato estão de saída: Anderson Salles, Christiano, Bruno Teles, João Carlos, Alessandro, Charles, Felipe Seymour, Jean Patrick, Nei, Lucas, Emanuel Biancucchi, Rafael Silva e Dagoberto. Entre os que voltam de empréstimos, cinco devem ser liberados (Marlon, Jonatas Paulista, Rafael Copetti, Bernardo e o paraguaio Aranda), e outros quatro provavelmente serão reemprestados (Erick Daltro, Victor Bolt, Sandro Silva e Erick Luís). E mais nomes ainda podem zarpar.

– Temos projeção de trabalhar com 30 jogadores, no máximo, sendo quatro goleiros. Ter 23 a 26 jogadores de linha. Era difícil. Era um malabarismo (trabalhar com 43), não podíamos separar de horário, para não haver ruído no grupo, porque às vezes um é mais amigo do outro… Tinha que montar trabalho, fazer os caras trabalharem juntos. Nisso foi mais que fundamental nossos auxiliares. Para a Série B, o pensamento é montar um grupo que encare a competição. São viagens mais longas, para Norte e Nordeste, aquelas mais próximas também são complicadas às vezes. Vai ser batida pesada. Precisamos de jogadores de pegada, pegada mais forte. Não que a Primeira Divisão não seja assim, claro que é, mas tem todo esse contexto de Série B. E é a obrigação, como o presidente falou. Trabalhar certinho no Carioca, nada muito diferente desse turbilhão que a gente passou durante mais de 100 dias. Vai ser por aí, mas agora com mais tempo para trabalhar – disse Jorginho, em entrevista ao Esporte Espetacular.

Apesar da reformulação do plantel, a tendência é que a base do time titular sofra poucas alterações. O Vasco vem se mobilizando para renovar contratos de jogadores considerados importantes, como Diguinho, Serginho e Julio César, e prioriza a contratação de um atacante no mercado. A prioridade da diretoria, porém, é buscar reforçar o elenco com destaques das categorias de base. O goleiro Gabriel Félix, o zagueiro Kadu Fernandes, os meias Matheus Índio e Mateus ”Pet” Vital, que já terminou o Brasileirão treinando com o time principal, são nomes certos na pré-temporada. Outros destaques, como os jovens Evander e Andrey, que estão de férias, também têm grandes chances após a disputa da Copa São Paulo de Juniores em janeiro. Já o atacante Renato Kayzer pode até disputar a Copinha, mas depois volta para os profissionais. Ele disputou três partidas pelo time principal no último Brasileirão.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠