DM do Vasco passa ileso em ‘limpa’ e vira ‘menina dos olhos’ de Eurico

O pós-rebaixamento do Vasco foi marcado por uma verdadeira limpa no futebol. Na segunda entrevista coletiva após a queda, o presidente Eurico Miranda anunciou que todos os integrantes do departamento haviam sido mandados embora e que 90% dos jogadores em fim de contrato não terão o vínculo renovado. Porém, em meio ao mar de demissões, quem se manteve intacto foi o departamento médico, motivo de orgulho para o dirigente e que se tornou sua “menina dos olhos”.

Em sua avaliação, médicos, fisiologistas e fisioterapeutas cumpriram seus respectivos papéis e não tiveram influência alguma no descenso para a Série B.

“Terminamos o campeonato sem jogadores lesionados, o que demonstra a eficiência do departamento. Médicos e fisioterapeutas são do departamento médico, que é interligado ao futebol, mas é independente”, explicou Eurico, justificando os motivos pelo qual não mexeu no departamento.

O baixo índice de lesões na temporada faz parte da filosofia de trabalho implementada pelo Caprres (Centro Avançado de Prevenção, Recuperação e Rendimento Esportivo), que costuma trabalhar com o slogan “lesão zero”.

O projeto, comandando pelo coordenador científico Alex Evangelista, ganhou força no clube e recebeu um aporte financeiro da Ambev, que está financiado a construção do espaço físico do Caprres, um prédio de dois andares em São Januário com tudo o que há de mais moderno em equipamentos para o desenvolvimento da saúde dos atletas. As obras já estão a pleno vapor e a previsão de conclusão é abril de 2016.

“Optamos pela criação do Caprres, que já funciona e terá sua sede construída até abril. Ele cuida da parte científica, nada a ver com a logística do futebol, com a preparação de campo. É um projeto que continua e tem dado resultado”, disse Eurico.

Desta maneira, se mantém para a próxima temporada, além de Alex Evangelista, os médicos Albino Pinto, Alexander Montenegro, Victor Bainelli e Raphael Blum; os fisioterapeutas Holf Flüguel, Rodrigo Barros e Márcio Monteiro; a nutricionista Mildre Freitas e a psicóloga Maíra Ruas.

Valdir Bigode é ‘salvo’

Na limpa do departamento de futebol, restaram dois sobreviventes. O auxiliar-técnico e ex-atacante do clube Valdir Bigode e o preparador físico Fábio Ganime. Eles se juntam ao técnico Jorginho, ao auxiliar Zinho e ao preparador físico Joelton Urtiga.

Fonte: Uol

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠