Tricampeonato Brasileiro do Vasco completa 18 anos nesta segunda-feira


Há exatos 18 anos, o Maracanã recebia 90 mil vascaínos apaixonados, prontos para soltar o grito de campeão brasileiro. No dia 21 de dezembro de 1997, Vasco e Palmeiras entraram em campo para definir o melhor time do país naquele ano. Diferente do regulamento atual, onde o time que somar mais pontos é o campeão, o torneio nacional era decidido no sistema do “mata-mata”.

Dono da melhor campanha da primeira fase, o Cruzmaltino tinha a vantagem de levantar o troféu em caso de dois empates nos confrontos da final. No primeiro duelo, em São Paulo, o placar foi de 0 a 0. No Rio de Janeiro, o Gigante da Colina confirmou o favoritismo, conseguiu o mesmo placar do confronto de ida, e se tornou tricampeão nacional.

As oito equipes no topo da tabela se classificavam para uma fase de grupos. Dentro de duas chaves, Vasco, Internacional, Atlético Mineiro, Portuguesa, Flamengo, Santos, Palmeiras e Juventude se dividiram para decidir os finalistas do campeonato. No grupo A, o Gigante da Colina foi invicto, acumulando quatro vitórias e dois empates, incluindo a goleada por 4 a 1 em cima do rubro negro carioca. O alviverde paulista fez campanha similar, também sem perder nenhum jogo, com cinco vitórias e um empate.

A partida do Maracanã foi tensa. Precisando de um gol, o Palmeiras chegava ao ataque, mas era parado pelo goleiro cruzmaltino Carlos Germano. No setor ofensivo, a dupla de ataque Evair e Edmundo tentavam colocar o Almirante na frente para dar tranquilidade. Mesmo com as tentativas do clube paulista, o título já tinha dono. O troféu vencido em casa coroou o grande campeonato do Vasco da Gama e iniciou uma fase de grandes conquistas daquela geração, resultando nos títulos da Libertadores do ano seguinte, da Mercosul de 2000, do tetra Brasileiro em 2000, do Rio –São Paulo de 1999 e Carioca de 1998.

Escalação do Vasco da Gama na final do Campeonato Brasileiro de 1997: Carlos Germano, Válber, Mauro Galvão, Odvan e Felipe; Nasa, Luisinho, Juninho Pernambucano (Pedrinho) e Ramon; Evair (Nelson) e Edmundo. Treinador: Antônio Lopes.

Fonte: VASCO.com.br

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠