Técnico do Sub-20 lista quatro atletas que Jorginho pode usar de imediato

O Vasco apostará forte na base em 2016. A decisão já foi anunciada por dirigentes do clube e será colocada em prática a partir da pré-temporada, na qual um grupo de oito a dez jogadores formados em São Januário tentará provar a Jorginho sua utilidade no elenco profissional. Para o técnico do sub-20 cruz-maltino, Rodney Gonçalves, pelo menos quatro integrantes desse grupo estão em boas condições para figurar no grupo principal: os meias Mateus Vital, Evander e Matheus Índio, e o volante Andrey.

O treinador afirma que Vital, conhecido como Mateus “Pet”, em referência ao sérvio Petkovic, ex-jogador do clube, evoluiu bastante na última temporada e, com isso, se credencia entre os que têm maiores chances de serem aproveitados de forma imediata. Os outros três foram apontados por Gonçalves em função da experiência nas categorias de base da seleção brasileira.

O grupo de oito que deverão ser observados na pré-temporada, segundo o técnico, é composto por: Mateus Vital, Evander, Andrey, Kayser, Alan, Caio Monteiro, Gabriel e Matheus Índio. O zagueiro Kadu e o atacante Paulo Vítor também devem ser avaliados por Jorginho.

– A minha avaliação é a seguinte. Desses oito, é lógico que Matheus Índio está numa situação destacada, Andrey a mesma coisa, Evander. Eu, Rodney, vejo situação imediata para Matheus Índio, Mateus “Pet”, Evander e Andrey. Esses quatro… O Mateus “Pet” teve uma evolução muito grande, absorveu bem o trabalho de preparação, fez muito trabalho paralelo com o departamento físico e de fisiologia também, ou seja, deu um salto muito grande. O Andrey e o Evander muito mais pela experiência internacional, foram campeões sul-americanos, disputaram o Mundial Sub-17… A preparação em si nessa Sub-17 gerou um amadurecimento muito grande nos dois. Foram chamados em todas as convocações da Sub-17. Entendo que esses quatro estão em situação de aproveitamento imediato – analisou Rodney Gonçalves.

O técnico ressalta que, contudo, são atletas jovens e ainda terão de se adaptar:

– Se o Jorginho precisar, de olhos fechados pode usar sem ficar receoso, ou qualquer tipo de coisa. É lógico que, não podemos esquecer, alguns são do primeiro ano de juniores. Alguma coisa ainda vão ter de absorver. Mas estão em uma situação de prontidão. Os demais pode ser que ainda precisem de um pouco mais de tempo. A expectativa é muito boa em relação a esse grupo.

Questionado se a disputa da Série B em 2016 torna mais fácil a adaptação de jovens promessas e cria mais oportunidades, em função de menor receita, Gonçalves explicou:

– Não acho que seja mais fácil. O que pode acontecer é, normalmente quando tem um descenso, automaticamente pensa em reformulação. Então se entende que é o momento de dar oportunidade a esses atletas. Existe uma escassez hoje, e os bons atletas estão sendo muito disputados, os clubes têm uma dificuldade financeira. Quando há um descenso, há o pensamento de conter despesa, então abre o leque para usar meninos da base.

O título mais importante foi o Campeonato Carioca juvenil, que o clube não conquistava há 15 anos. Sobre resultados, o técnico afirmou:

– O meu trabalho tem toda sustentabilidade, mudei a minha equipe inúmeras vezes para que fossem cedidos para o profissional. Futebol depende de coletividade, de conjunto, e a possibilidade de tropeço passa a ser grande. Mas o sucesso da gente é fazer um trabalho bem fundamentado para servir ao profissional. Qual foi o técnico que promoveu oito atletas com idade de amador? Então o trabalho teve um certo êxito.

Gonçalves comentou ainda a relação com Jorginho. O gerente de futebol, Isaías Tinoco, afirmou que as contratações serão pontuais e somente depois de o técnico dos profissionais avaliar o grupo de jogadores da base que participará da pré-temporada:

– O Jorginho, desde que chegou, na primeira semana, já convocou para fazer um treinamento com os juniores. Claro que passou um período complicado, com outro foco, mas nos jogos da gente ia no vestiário, conversava, chegou a passar uma mensagem para os meninos. Não existe melhor momento do que a pré-temporada. Ele olha, vê quem correspondeu, quem precisa de um tempo maior nos juniores, o contato com o Jorginho é quase que diário e, agora, fica mais aberto ainda uma vez que o Isaías conversa todo dia, acompanha treinamento dos juniores. A gente entende que tem tudo para obter sucesso.

Fonte: Globo.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠