Primo de Tiago Volpi, goleiro Neto Volpi revela que quase acertou com o Vasco

Revelado no Figueirense, Neto Volpi fez sucesso na Colômbia antes de ir para Shimizu S-Pulse-JAP. Após deixar o futebol japonês no final deste ano, o primo de segundo grau do goleiro Tiago Volpi, do São Paulo, espera ter uma boa oportunidade para jogar em um novo clube em 2021.

“Estou descansando e esperando o mercado. Quero fazer um ano melhor. Estou analisando algumas propostas e tem conversas com o [técnico] Alexandre Guimarães, do Atlético Nacional-COL, mas nada concreto. Têm algumas situações no Brasil e no Japão. Vou analisar o que for melhor para minha família e o meu futuro”, disse o atleta de 28 anos em entrevista ao ESPN.com.br.

Apesar de ter começado como atacante no futsal, Neto recebeu um convite para virar goleiro e não largou mais a posição. Ele ficou um ano em um centro de treinamentos no Rio Grande do Sul antes de se mudar para a base do Brusque-SC, aos 14 anos.

Após uma temporada e meia, foi aprovado em uma avaliação no sub-17 do Figueirense. No time de Florianópolis, treinou com o atacante Roberto Firmino, hoje astro do Liverpool e da seleção brasileira.

Em 2012, o goleiro estreou no time profissional e chegou a disputar posição com o primo. Dois anos depois, Neto foi emprestado ao Santo André, pelo qual faturou a Copa Paulista e jogou a Série A2 de 2015.

No ano seguinte, ficou parado alguns meses por causa de uma cirurgia de apendicite. Jogou depois pelo Inter de Lages-SC no Catarinense e na Série D do Brasileiro.

“Precisava jogar porque tinha atuado poucas vezes e fui buscando mercado em Santa Catarina”, explicou.

Em 2016, veio a grande chance: ir para o Vasco. “O treinador era o Jorginho, que tinha me comandado no Figueirense, em 2011. Chegou a ter um contato com o clube, mas até hoje não sei o que aconteceu para não ter sido concretizado [o negócio]”, afirmou.

“A gente sempre busca trabalhar para ir aos grandes clubes e mostrar o nosso trabalho.”

Após defender o Atlético de Tubarão-SC, ele voltou ao elenco profissional do Figueirense, em 2017.

“Pena que fiquei pouco tempo porque é um lugar que sempre gostei. Não joguei porque o Dênis [ex-goleiro do São Paulo] estava lá com o [técnico] Milton Cruz, algo que é normal”, analisou.

Na metade de 2018, Neto se transferiu para o América de Cali, da Colômbia.

“Vi como uma oportunidade de abrir um mercado fora do país porque tinha atuado pouco por aqui. Meu primeiro ano foi um difícil porque joguei pouco. Fui emprestado ao Deportivo Pasto-COL e conseguimos chegar à final no Apertura depois de muito tempo.”

No segundo semestre, o goleiro voltou ao América-COL e foi campeão do Torneio Clausura com o treinador Alexandre Guimarães, atualmente no Atlético Nacional-COL.

“O país é muito receptivo e parecido com o Brasil. O nível do campeonato é alto”, elogiou.

Com o destaque, o goleiro de 28 anos foi para o Shimizu S-Pulse, do Japão, mas só conseguiu jogar três vezes na temporada.

“Foi um ano difícil por causa da adaptação e pela parada devido ao coronavírus. Tive uma lesão que me tirou do campo por bastante tempo. No fim do ano voltei melhor, mas quase não joguei”, lamentou.

Neto agora espera acertar em breve com uma nova equipe.

“Tenho como objetivo dar sequência depois de um ano no Japão. Quero mostrar serviço em mais jogos e ficar mais tempo em uma equipe”, finalizou.

Fonte: ESPN.com.br

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠