Plano de 100 dias de Jorge Salgado tem eleição para nome do CT, Censo Vascaíno, acordos e captação de dinheiro

A gestão Jorge Salgado começou a colocar em prática o discurso de entregar um Vasco melhor daqui a três anos. Ao encaminhar a conclusão do plano para os primeiros 100 dias da administração, a direção elencou prioridades a serem atacadas.

Os pontos variam conforme cada uma das vice-presidências e serão anunciados nos próximos dias possivelmente em uma entrevista coletiva. Eles vão desde batizar o CT dos profissionais com a ajuda da torcida a captar recursos e firmar novos acordo com os mais diversos credores.

Coube ao CEO Luiz Mello, ao lado do próprio Salgado, comandar este trabalho. O documento a ser divulgado, aliás, foi praticamente finalizado na segunda-feira, dia de posse do novo presidente e dos 11 vices.

Uma das novidades, pouco falada na campanha, foi revelada por Vitor Roma, vice de marketing, em entrevista ao canal Portão 9. O dirigente afirmou que haverá uma consulta à torcida para rebatizar o CT – a gestão do agora ex-presidente Alexandre Campello manteve o nome Almirante, usada na estrutura alugada em Vargem Pequena, o que contrastou com a campanha de torcedores para homenagear o ex-goleiro Moacyr Barbosa (o campo 1 foi assim nomeado).

No campo do relacionamento com o torcedor, sairá do papel também a ideia do “Censo Vascaíno”. Trata-se de uma pesquisa para entender melhor as demandas do público, seus desejos e interesses.

Como Salgado anunciou recentemente, a ideia da direção é regularizar todas as pendências salariais com funcionários e jogadores até abril. Para tal, será necessário melhorar o fluxo de caixa do clube. A captação de recursos no mercado, uma promessa de campanha, avança e é esperado que apresente resultados. Assim como a renegociação de dívidas, que evitaria penhoras e bloqueio de verbas a receber. Tudo sob um mantra: o Vasco precisa firmar acordos e cumpri-los, coisa que não vem ocorrendo.

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠