Na África, time se recusou a jogar enquanto gol não fosse revisado pelo VAR

O jogo entre Vasco e Internacional já se tornou um dos mais polêmicos do futebol brasileiro nos últimos anos depois que o primeiro gol gaúcho, que venceu por 2 a 0, foi validado em posição duvidosa não revisada pelo VAR com a tecnologia das linhas, dascalibrada na ocasião.

Mas está longe de ser o primeiro. Caso semelhante aconteceu em 2019, com desdobramentos drásticos. Era a decisão da Liga dos Campeões da África de 2019 e Esperança, da Tunísia, e Wydad, de Marrocos, se enfrentavam.

Os marroquinos perderam o título depois de se recusarem a voltar a campo. A atitude foi tomada após o Wydad ter um gol anulado na partida e a equipe não ter conseguido contar com o recurso do VAR. Imagens da TV mostraram a anulação havia sido equivocada.

A arbitragem esperou pela revisão por uma hora. O aparelho de VAR apresentava defeito antes mesmo de o jogo começar.

Sem que o problema na tecnologia fosse resolvido e diante da insistência do Wydad em só voltar a jogador depois que o gol fosse checado, a decisão foi encerrada. No placar agregado, o Esperance vencia por 2 a 1 e com isso foi o campeão africano de clubes.

Fonte: Extra

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠