Opinião: O que aconteceria se Eurico fosse o atual presidente do Vasco

Discute-se o que aconteceria se Eurico Miranda fosse presidente do Vasco no caso VAR. Depende. Nos anos 80 e 90, provavelmente o time não voltaria a campo, poderia haver até virada de mesa. Em 2021, nada aconteceria, como nas reclamações infrutíferas que ocorreram em 2015.

Muitos lembram da promessa de ir para a Sibéria se o Vasco caísse. Mas o que mais me marcou foi quando, no auge da pirotecnia verbal, ele soltou que o Vasco travaria uma “guerra sem quartel”. Um repórter perguntou: “o que isso quer dizer?”. A resposta: “Guerra. Sem. Quartel”.

Desde então, adoro a expressão, que significa a batalha sem regras, sem códigos de honra ou ética. O adversário na época seria a federação catarinense, que estaria agindo nos bastidores para evitar a queda dos seus times. Eram quatro, todos ameaçados. Dois caíram. E o Vasco.

Fonte: Twitter de Bruno Marinho – Globo

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠