Relembre as últimas estreias do Vasco na Copa do Brasil

Um número que evidencia o mau retrospecto do Vasco nas competições que disputa nos últimos anos pode ser visto na Copa do Brasil. Após ser sufocado durante todo o segundo tempo contra a Caldense, na última quinta-feira (19), o Cruz-maltino só avançou de fase por conta da regra da vantagem do empate para o visitante, que vale desde 2017. E não foi a primeira vez! Esta é a terceira vez consecutiva que o Vasco ‘apela’ para a regra para poder evitar uma eliminação na estreia.

Em 2019, o Vasco viajou até Juazeiro (BA) para enfrentar a Juazeirense e passou um sufoco nadado para não ficar de mãos abanando já na primeira fase da Copa do Brasil. Isso porquê o Cruz-maltino abriu o placar no primeiro tempo, sofreu a virada no segundo e só foi salvo por um pênalti duvidoso marcado nos acréscimos da partida. Ele foi convertido por Máxi López e garantiu o 2 a 2, levando o Vasco à segunda fase do torneio.

No ano seguinte, mais um jogo no Nordeste. O Vasco de Abel Braga foi até Altos, no Piauí, enfrentar o time de mesmo nome da cidade e passou com um 1 a 1 sofrido. O time saiu atrás e empatou ainda no primeiro tempo com Germán Cano, mas abusou de perder gols e quase sofreu o segundo no último lance do jogo, o que eliminaria a equipe carioca, campeã em 2011.

Nesta atual edição, o placar foi igual ao do ano passado, mas a circunstância foi outra. Após fazer um bom primeiro tempo e sair na frente, com gol de Marquinhos Gabriel, o Vasco recuou demais na etapa final e viu a Caldense finalizar uma vez atrás da outra. O empate chegou aos 39, o que gerou um Deus nos acuda na zaga vascaína nos minutos finais. Lucão viu seu gol ser ameaçado em várias oportunidades, mas o Vasco conseguiu segurar o empate em 1 a 1, passando, pelo terceiro ano seguido, para a segunda fase por causa da regra da competição, que favorece os times melhores ranqueados na CBF.

Fonte: Jogada 10

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠