Franck Assunção, ex-diretor do Vasco, é solto em Campinas

Ex-diretor do Vasco, o empresário Franck de Sa Assunção, de 41 anos, deixou o Centro de Detenção Provisória de Hortolândia (SP) por volta das 19h deste domingo (21) após receber um alvará de soltura da Justiça, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária do estado de São Paulo (SAP). Ele foi preso preso em Campinas (SP) na noite de sexta-feira por suspeita de porte ilegal de armas.

Franck também é conhecido por tentar levar o atacante marfinense Drogba ao Corinthians, em 2017. Detalhes sobre a decisão não foram informados e o G1 ainda não localizou a defesa do empresário.

O caso

Segundo a Polícia Civil, o empresário foi encontrado na Vila Mimosa após um motorista de aplicativo acionar a Polícia Militar para relatar que foi agredido com um soco e ameaçado por Franck com armas de fogo na Avenida Mirandópolis. Veja abaixo detalhes sobre a trajetória do ex-diretor do Vasco.

O empresário foi encontrado a 50 metros do local, segundo a PM, com uma mochila. Dentro dela foram achados e apreendidos um revólver .38 com cinco munições intactas e um revólver .22 com várias munições, além de máscaras, martelo e fitas de nylon.

“O indiciado estava visivelmente alterado, sendo necessário o uso de força física moderada para contê-lo. Ele admitiu que tinha mais munições na casa dele. Diligenciando nessa localidade, foram encontradas mais munições na casa dele”, diz texto do boletim de ocorrência registrado na 2ª Delegacia Seccional da metrópole como posse/porte ilegal de armas.

‘Ele falou que ia me matar’

Em entrevista à EPTV, afiliada da TV Globo, o motorista de aplicativo disse que a agressão ocorreu após ele ter se recusado a levar o empresário para um ponto de venda de drogas. “Ele pegou e já me deferiu um soco, e eu também já peguei e me defendi ali. Eu vi o primeiro lugar mais movimentado, que era o shopping, e entrei com o carro, e neste momento ele falou que ia me matar”.

“Ele pegou e sacou alguma coisa, que era o revólver, aí eu percebi, olhei pra trás e ele fez o barulho, só ouvi o barulho do ‘clic’ do revólver, porém não houve disparo algum porque a munição falhou naquele momento”, relata o homem.

Um policial civil, que preferiu não ser identificado, relatou à reportagem neste sábado que o suspeito chegou a discutir com um advogado que deixou a delegacia na sequência. Não há informações sobre o nome do profissional.

Além disso, antes do registro, o suspeito teria relatado sobre atuações dele no mercado do futebol.

Histórico

Franck é conhecido por se envolver em polêmicas no futebol brasileiro. Além da passagem relâmpago de 30 dias como diretor executivo do Vasco em 2012, clube do qual é sócio, ele ficou marcado por outros dois casos emblemáticos: a tentativa de levar o atacante italiano Christian Vieri para o Botafogo-SP, em 2009, e depois, em 2017, foi o responsável por intermediar os contatos do Corinthians com o atacante marfinense Didier Drogba. Não teve sucesso em nenhuma das situações.

Recentemente também esteve envolvido em outra negociação frustrada: as conversas entre Flamengo e o atacante italiano Balotelli.

Quando chegou ao Vasco na gestão de Roberto Dinamite, Franck disse que viveu quase 20 anos na Itália, onde fez contatos e começou a negociar jogadores – mas sem um registro de agente na Fifa.

A história de Franck começou a desmoronar quando o currículo foi desmentido. Ele dizia ter passagens por Chiasso, da Suíça, e Ascoli, da Itália, mas dirigentes dos dois clubes negaram qualquer relação.

Também na Itália, o empresário ainda afirmava que o Vasco buscava as contratações do romeno Adrian Mutu e do italiano Vicenzo Iaquinta – o clube carioca sequer havia falado sobre esses nomes. Assim, foi demitido com 30 dias de trabalho.

Franck ainda chegou a ser dono de uma escolinha de futebol em Hortolândia, região de Campinas, onde oferecia peneiras para garotos de 5 a 18 anos. Não há informações se ela ainda existe.

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠