Vasco e mais 4 clubes teriam estourado limite de troca de técnicos na Série A em 2020; medida passará a valer em 2021

Coach Ricardo Sa Pinto of Brazil's Vasco da Gama instructs his players during a Copa Sudamericana soccer match against Venezuela's Caracas FC, in Caracas, Venezuela, Wednesday, Nov. 4, 2020. (Miguel Gutierrez/Pool via AP) Venezuela Brazil Soccer Copa Sudamericana

A nova regra da CBF para limitar a troca de técnicos durante a Série A do Campeonato Brasileiro de 2021 vai impactar diretamente no planejamento dos clubes. Em 2020, cinco times demitiram o treinador mais de uma vez, o que será proibido na atual edição.

Botafogo (quatro demissões), Coritiba (três), Goiás (três), Fortaleza (duas) e Vasco (duas) foram quem mais mudaram de comando ao longo do Brasileirão.

Corinthians e Athletico também fizeram duas trocas de técnicos, mas ambos utilizaram interinos. O Timão teve Dyego Coelho (até então treinador do sub-20) na função até chegada de Vagner Mancini, enquanto o Furacão deixou Eduardo Barros (auxiliar) antes da contratação de Paulo Autuori.

Em 2021, caso uma equipe demita o treinador pela segunda vez, ela só poderá efetivar no cargo um outro profissional que já seja funcionário do clube com no mínimo seis meses de casa. Por exemplo: um treinador das categorias de base ou um auxiliar fixo.

Flamengo, Fluminense, Palmeiras, São Paulo, Santos, Bragantino, Bahia, Internacional, Sport Atlético-GO ficaram no limite da nova regra no ano passado.

Apenas Grêmio, Atlético-MG e Ceará não mudaram o treinador durante o Brasileirão 2020.

Entre os treinadores, nenhum deles teria estourado o limite de comandar duas equipes no Brasileirão. Rogério Ceni (Fortaleza e Flamengo), Paulo Autuori (Botafogo e Athletico), Vanderlei Luxemburgo (Palmeiras e Vasco), Eduardo Barroca (Coritiba e Botafogo) e Vagner Mancini (Atlético-GO e Corinthians) dirigiram dois times.

Veja as trocas de técnicos na Série A em 2020:

Botafogo: 4 trocas (Paulo Autuori / Bruno Lazaroni / Ramón Díaz e Emiliano Díaz / Eduardo Barroca / Lúcio Flávio – interino);
Coritiba: 3 trocas (Eduardo Barroca / Jorginho / Rodrigo Santana / Gustavo Morínigo)
Goiás: 3 trocas (Ney Franco / Thiago Larghi / Enderson Moreira / Glauber Ramos e Augusto César)
Corinthians: 2 trocas (Tiago Nunes / Dyego Coelho – interino / Vagner Mancini)
Athletico: 2 trocas (Dorival Júnior / Eduardo Barros-interino / Paulo Autuori)
Fortaleza: 2 trocas (Rogério Ceni / Marcelo Chamusca / Enderson Moreira)
Vasco: 2 trocas (Ramon Menezes / Ricardo Sá Pinto / Vanderlei Luxemburgo)
Flamengo: 1 troca (Domènec Torrent / Rogério Ceni)
Fluminense: 1 troca (Odair Hellmann / Marcão)
Palmeiras: 1 troca (Vanderlei Luxemburgo / Abel Ferreira)
São Paulo: 1 troca (Fernando Diniz / Marcos Vizolli-interino)
Santos: 1 troca (Cuca / Marcelo Fernandes-interino)
Bragantino: 1 troca (Felipe Conceição / Maurício Barbieri)
Internacional: 1 troca (Eduardo Coudet / Abel Braga)
Bahia: 1 troca (Mano Menezes / Dado Cavalcanti)
Sport: 1 troca (Daniel Paulista / Jair Ventura)
Atlético-GO: 1 troca (Vagner Mancini / Marcelo Cabo)
Grêmio: 0 trocas (Renato Gaúcho)
Atlético-MG: 0 troca (Jorge Sampaoli)
Ceará: 0 troca (Guto Ferreira)

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠