Técnico Marcelo Cabo exalta jovens do Vasco e diz: ‘O Caio entrou e, em 20 minutos, mostrou porque nós o trouxemos da base’

O Vasco venceu o Resende por 3 a 1, neste domingo (24/04), pela 11ª rodada da Taça Guanabara. Ao final da partida, o técnico Marcelo Cabo concedeu uma entrevista coletiva e avaliou o desempenho vascaíno em cada um dos tempos. O comandante elogiou o primeiro tempo feito pela equipe do Resende, revelou que consertou o que vinha dando errado no intervalo e se mostrou muito satisfeito com a segunda etapa do Gigante da Colina.

– Às vezes, a gente fala que o Vasco não foi bem, mas a gente precisa dizer também que o adversário foi bem. E o Resende nos surpreendeu no primeiro tempo, com uma marcação alta, bem encaixada, um time que estava propondo o jogo e nos trouxe muita dificuldade. Devido a essa surpresa de um bom time que apresentou um bom padrão de jogo, a gente só foi consertar e ajeitar no intervalo. A gente pôde internamente, no vestiário, ajustar o que precisava ajustar. Fiquei muito satisfeito com o segundo tempo do Vasco – disse Marcelo Cabo.

Os gols da partida foram anotados por Bruno Gomes e Germán Cano em duas oportunidades. Com os dois gols feitos, o atacante argentino chegou a marca de 29 gols e se tornou o maior artilheiro estrangeiro neste século pelo Cruzmaltino, superando Petkovic com 28 gols marcados. Marcelo Cabo celebrou a marca atingida pelo atacante e revelou que sua proposta de jogo faz com que a bola chegue mais vezes ao argentino.

– Fico muito feliz dele atingir essa marca porque é um profissional que vem trabalhando bastante, vem se doando bastante, se preparando muito bem. A nossa proposta de jogo faz a bola chegar muitas vezes para o Cano, e ele tem aproveitado as oportunidades. Hoje ele fez mais dois gols. Isso é muito importante – acrescentou o comandante.

A partida de ontem marcou também a estreia de mais dois atletas das categorias de base do Vasco da Gama. O meia Caio Eduardo, autor do gol do título da Copa do Brasil Sub-20, e o atacante Arthur Salles, artilheiro do Campeonato Carioca Sub-20, foram utilizados contra o Resende. Além deles, Figueiredo, Riquelme e João Pedro também entraram na segunda etapa. A atuação dos Meninos da Colina foi exaltada por Marcelo Cabo, que voltou a elogiar o artilheiro Germán Cano.

– Também quero ressaltar a entrada dos jovens do Vasco. O Caio entrou e, em 20 minutos, mostrou porque nós o trouxemos da base, colocamos para jogar em um jogo dificílimo e ele nos deu confiança. Fez uma excelente partida. Ressaltar também a estreia do Arthur, a entrada do Riquelme, do João Pedro… É a oportunidade que a gente tem para dar essa sequência ao pessoal da base. Fico muito feliz pela estreia deles e pela marca do Cano. O Cano merece muito. Está com uma média de gols muito boa na temporada, e a tendência é que a gente propicie isso a ele em todos os jogos, pela característica ofensiva que nosso time tem hoje.

Confira outros trechos da coletiva:

Reforços Internos

“Quero ressaltar que eles não vão ser a solução do Vasco, mas esse equilíbrio com os jogadores mais experientes: o Rômulo está chegando também, hoje o Léo Jabá pode dar essa sustentação para o Figueiredo e outros jogadores… É o equilíbrio que a gente tem buscado para que a gente possa ter uma equipe competitiva e a gente mesclar a experiência desses jogadores, como Vanderlei e Lucão, e a gente ter o equilíbrio necessário para ter uma equipe forte. Às vezes os reforços estão dentro do próprio Vasco. A gente já tinha subido o Caio uma vez, depois voltou para a base, deu continuidade. Hoje eu só tinha os dois volantes que iam iniciar o jogo, e trouxe o Caio. Ele já tinha demonstrado nos treinamentos, e hoje o que ele apresentou no jogo… A gente tem buscado essas soluções dentro do Vasco e tem potencializado esses meninos”.

Morato “por dentro” e atuação de Léo Jabá

“Flexibilidade de sistema que a gente vem treinando todos os dias. Eu saí 4-2-3-1 para um 4-3-3, trazendo o Morato por dentro para fazer o “homem de ligação” e abrindo dois pontas para que a gente pudesse criar um pouquinho mais de amplitude e profundidade. Eu tenho alguns jogadores que podem me ajudar por dentro, como o Morato fez hoje, o Pec tem essa característica… Eu ganho essa flexibilidade poder transformar um 4-2-3-1 em um 4-3-3. Foi o que aconteceu no intervalo, a gente conseguiu ajustar a equipe com a mudança do esquema tático, e a gente acabou ganhando alternativas que pode usar durante a temporada”.

Mudança do primeiro para o segundo tempo

“A gente estava com dificuldades de achar esse passe na entrelinhas, não estava funcionando. Por isso, eu optei mudar o esquema do 4-2-3-1 para o 4-3-3 e criar um pouquinho mais de amplitude, de profundidade, com esses jogadores que são pontas originais, que eram o Figueiredo e o Jabá, trazendo o Morato por dentro para fazer a ligação. Acho que funcionou bastante, a gente trabalhou bem e não pode ficar engessado em só um sistema. Como o jogo que eu gosto, que é o jogo apoiado, por dentro, não estava conseguindo articular, a gente mudou, abriu um pouco mais a equipe do Resende, foi onde a gente perdeu inúmeras chances de gols… O placar, pelo que a gente produziu no segundo tempo, poderia ser um pouco mais elástico. Acredito que o Jefferson (goleiro do Resende) tenha sido eleito o melhor em campo, pelas inúmeras defesas que fez. Fico muito satisfeito pelo segundo tempo. É uma situação que a gente viveu no jogo atípica, são dois tempos atípicos. Isso a gente vai encontrar durante a temporada, então a gente tem que achar mecanismos para mudar o perfil da equipe, subir de produção e buscar a vitória, como foi hoje”.

Fonte: Site oficial do Vasco

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠