Ex-técnico do Vasco, Jorginho cita o clube em coletiva após vitória contra o Goiás

Após a boa vitória do Atlético-GO por 3 a 0 no clássico contra o Goiás, que praticamente assegurou o Dragão na semifinal do Campeonato Goiano, o técnico Jorginho concedeu entrevista coletiva e tentou segurar a empolgação do time e da torcida. O comandante rubro-negro destacou o comprometimento da sua equipe no duelo contra seu maior rival. O Dragão pode perder por até 2 gols de diferença na partida de volta, no Accioly, que ainda assim se classifica às semifinais do Goianão.

“O mais importante no jogo de hoje, foi a forma como nós entramos, muito comprometidos com o resultado, que precisava ser positivo. Jogando na casa do adversário… mesmo sem torcida, a gente sabe que a rivalidade é grande. Respeitando o adversário, sabendo que – independente do momento que eles estão passando – a gente precisava se impor e jogar um futebol intenso, organizado e principalmente, ofensivo. Foi isso que facilitou as coisas dentro de campo, não seria possível se os jogadores não entrassem dentro de campo completamente comprometidos com o resultado importante aqui, fora de casa.”

Ao ser questionado sobre a reclamação dos esmeraldinos com a arbitragem, o técnico enfatizou que a ausência do árbitro de vídeo (VAR) pode ser determinante nos resultados das partidas, e também defendeu o árbitro da partida; Wilton Pereira Sampaio.

“Ainda não vi os lances. Principalmente o lance do primeiro gol. Mas a partir do momento que não há o VAR, se existiu algum tipo de erro, nós somos humanos e pode acontecer. Eu já perdi e ganhei jogo com erros de arbitragem. Não estou dizendo que foi um erro, mas estou dizendo que o Wilton é um grande árbitro. Um árbitro respeitado, um árbitro da FIFA, que tem muita capacidade e idoneidade. Eu não tenho dúvida em relação a isso.”

Jorginho ainda destacou que em clássicos tudo pode acontecer, evitou o favoritismo e lembrou da partida entre Vasco x Flamengo na semana passada, onde, segundo o treinador, o cruzmaltino venceu com autoridade (3 a 1) mesmo sem ser favorito.

“Nos deixa favoritos se nós entrarmos sempre desta mesma forma. A gente sabe que a cada jogo que passa, aumenta a dificuldade, a complexidade, as equipes são qualificadas… Na rivalidade que existe, tudo poderia acontecer. A gente viu na semana passada, eu alertei os jogadores; o Vasco (aparentemente), não tinha a menor possibidade de ganhar do Flamengo, e ganhou de 3 a 1. Não tem facilidade, cada jogo é um jogo. Precisamos entrar completamente comprometidos com o resultado final. Queremos – naturalmente – chegar à semifinal, e ainda temos mais um jogo importantíssimo. Queremos chegar à final também e sermos campeões.”

Fonte: Esporte News Mundo (texto), Reprodução Internet (foto)

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠