Jogador de golfe nas horas vagas, Germán Cano ganha elogios do VP da Federação de Golfe do Rio

Maior artilheiro estrangeiro do século 21 no Vasco e próximo de outros recordes pelo clube. Há pouco mais de um ano no Cruz-Maltino, Germán Cano já provou sua eficiência com a bola nos pés, mas o que muitos não sabem é que o argentino demonstra qualidades também em gramados preparados para outro tipo de esporte: o golfe.

Praticante da modalidade desde os tempos em que atuava na Colômbia, o atacante tem mantido o hobby no Brasil e já recebeu até mesmo uma homenagem da Federação de Golfe do Rio de Janeiro (FGERJ) após comemorar seu gol sobre o Flamengo – na vitória por 3 a 1 pelo Campeonato Carioca – simulando uma tacada.

Apesar de não praticar o esporte de maneira profissional, Cano é visto acima da média entre os amadores. Em sua “carreira” como golfista, por exemplo, ele tem o orgulho de já ter um “hole in one”, feito considerado extremamente difícil quando o jogador acerta o buraco com apenas uma tacada.

Segundo o vice-presidente da FGERJ, Leandro Apolinário, seu “handicap” [nível do atleta de golfe] o coloca numa prateleira superior.

“Eu joguei com ele duas vezes. É um bom jogador de golfe. Talvez não seja um Germán Cano do golfe [risos], mas ele é muito bom. Seu handicap é de mais ou menos 15. No golfe, quanto menor for o handicap, melhor o jogador é. E para efeito de comparação, um jogador de handicap 18 é considerado um cara um bom. Ou seja, ele está acima de um cara bom”, avaliou Apolinário ao UOL Esporte.

Vascaíno e hoje amigo de Germán Cano, o vice-presidente da FGERJ acredita que o golfe tem contribuído para a adaptação do atacante cruzmaltino no Rio de Janeiro.

“É isso que tenho feito. Estou abraçando-o como vascaíno e como golfista. Quero deixá-lo à vontade. Uma partida de golfe demora mais ou menos umas quatro horas. E aí você tem a oportunidade de estar junto com aquela pessoa, conversar… Costumo dizer que se você quiser conhecer o caráter de uma pessoa, jogue golfe com ela, pois você terá tempo de conhecê-la”, disse o dirigente, complementando sobre a personalidade de Cano: “Posso dizer que é um baita profissional em todos os sentidos, muito concentrado, engajado com o que está fazendo”.

Sobre a placa em homenagem a Cano que foi entregue ao atacante do Vasco, Leandro Apolinário acredita que seja um gesto de gratidão pela divulgação que o argentino fez ao golfe em pleno “Clássico dos Milhões”.

“Em razão da comemoração, na qualidade de vice-presidente da federação, entendi com meus pares que seria interessante fazer uma homenagem ao Cano. Ele divulgou nosso esporte”, justificou.

Cano joga com Conca

Curiosamente, um dos parceiros de golfe de Germán Cano é um compatriota seu que também já defendeu o Vasco: o ex-meia Darío Conca.

Hoje morando em Miami (EUA), o ex-jogador cruz-maltino e de Flamengo e Fluminense possui residência no Rio de Janeiro e, quando está na “Cidade Maravilhosa”, desfruta dos mesmos locais onde Cano pratica o esporte: o Itanhangá Golf Club e o Centro Olímpico de Golfe, ambos no bairro da Barra da Tijuca, na Zona Oeste (RJ).

Nas redes sociais, os argentinos já chegaram a compartilhar uma foto de um dos dias onde jogaram a modalidade juntos. Na ocasião, vascaínos vibraram e até sugeriram que Conca retornasse ao futebol e repetisse a dupla também em campo com a camisa cruzmaltina.

Fonte: UOL

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠