Em 2 meses no Vasco, lateral Zeca já obteve quase o mesmo tempo de jogo quando esteve no Bahia

Um recomeço. Assim Zeca encarou a oportunidade de atuar pelo Vasco. Badalado no Santos, onde chegou à seleção brasileira e foi campeão olímpico, o polivalente lateral viveu altos e baixos no Internacional e, emprestado ao Bahia na temporada passada, pouco atuou. Prova disso é que com apenas dois meses em São Januário, o jogador de 26 anos já tem quase o mesmo tempo de atuação que em um ano inteiro pelo Tricolor baiano.

No Bahia, Zeca disputou 19 partidas. Somando-as, ficou 984 minutos em campo. Já no Vasco, por enquanto são apenas 10 jogos, no entanto, o lateral já esteve 818 minutos em campo, consequência de ter se tornado titular absoluto com o técnico Marcelo Cabo. desde seu primeiro compromisso, contra a Caldense, dia 18 de março, pela Copa do Brasil. O jogador ficou fora apenas quando foi poupado pelo treinador.

Há de se ressaltar, porém, que durante sua passagem pelo Tricolor baiano, Zeca enfrentou um problema pessoal com sua mãe, que veio a falecer, algo que o deixou afastado por um tempo. Quando esteve disponível, no entanto, o lateral acabou perdendo espaço na maior parte da temporada para o jovem Juninho Capixaba, revelado nas divisões de base do clube.

Atualmente, quem faz “sombra” a Zeca na lateral esquerda do Vasco é Riquelme, de 18 anos, visto como uma das mais promissoras revelações das divisões de base do clube nos últimos anos. O jovem, porém, ainda é considerado em formação, e não está descartada a possibilidade de que se contrate um jogador mais experiente para a posição.

Laterais do rebaixamento foram afastados

A lateral esquerda do Vasco é considerada um problema crônico há alguns anos. Os jogadores da posição na temporada passada, por exemplo, foram afastados do cronograma de treinamentos do elenco principal e, atualmente, realizam atividades em horários alternativos. São eles Henrique e Neto Borges, que fizeram parte do time rebaixado no Campeonato Brasileiro.

Henrique, que é formado nas divisões de base do clube e atua no profissional desde 2013, tem algumas sondagens do futebol norte-americano, mas ainda nada concreto. Seu contrato com o Cruzmaltino vai até agosto deste ano.

Já Neto Borges está emprestado pelo Genk, da Bélgica, até julho e só não retornou antecipadamente em função do clube belga já ter estourado sua cota de estrangeiros.

Fonte: UOL

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠