Vasco inicia Série B com 10 reforços e 14 saídas em relação ao Brasileiro 2020

O Vasco inicia hoje (29), às 11h, em São Januário, contra o Operário (PR), sua dura e longa caminhada pela quarta vez na Série B. Do rebaixamento, no fim de fevereiro, até aqui, muita coisa aconteceu. Foram 13 saídas, dez reforços e uma mudança profunda de filosofia com o objetivo de colocar o clube, de uma vez por todas, novamente nos trilhos.

O Cruzmaltino chega para a disputa daquela que promete ser a mais disputada Segunda Divisão da história com uma reformulação completa no departamento de futebol, seja na metodologia de trabalho nos setores como também no material humano.

Com o aval da gestão Jorge Salgado —iniciada no fim de janeiro—, o diretor-executivo de futebol, Alexandre Pássaro, ex-São Paulo tem sido o grande mentor da montagem do elenco em parceria com o técnico Marcelo Cabo.

“Queria começar dizendo que tiveram 13 saídas, dez chegadas, uma troca bem grande e representativa dos nossos trabalhos, métodos e processos dentro do CT, do departamento de futebol, da parte médica, física, de análise de mercado e desempenho para que comecemos a Série B sólido e fundamentado. Não precisamos mais focar em reestruturação, em processo e modificações internas. Agora serão ajustes, e não reconstrução”, declarou Pássaro.

O dirigente também fez questão de destacar que, com toda essa reformulação, o Vasco conseguiu aumentar sua média de idade do elenco em relação à temporada passada. Está com um grupo mais experiente e acostumado com competições nacionais.

“Mudamos as características do nosso elenco e subimos a média de idade para 25,1. O Vasco não estava sabendo jogar os campeonatos que estava disputando, especialmente a Série A. Sempre quando disputava, era na parte de baixo, o que era inadmissível”, destacou Pássaro, complementando:

“Tínhamos no início do Brasileiro passado um elenco somando 900 jogos entre Séries A e B. E esse elenco que inicia agora, no sábado [pela Série B], tem 1.935 jogos somados. Isso não garante que seremos campeões, mas diminui nosso risco. Além disso, tivemos 12 jogadores que estrearam pelo campeonato nacional ano passado, este ano temos quatro. Ano passado tínhamos 18 jogadores com menos de 10 jogos numa Série A, e este ano só temos nove, caiu pela metade”.

Com a venda recente da jovem promessa Talles Magno, de 18 anos, para o New York City (EUA) por R$ 42 milhões, o Vasco conseguiu colocar os salários praticamente em dia no clube, devendo apenas parte dos acordos feitos com os jogadores remanescentes do elenco passado.

Quem chegou

Vanderlei (goleiro) – Rescindiu com o Grêmio e assinou um contrato de produtividade com o Vasco até o fim desta temporada. Caso atinja metas, pode renovar por mais um ano. Seu salário é menor do que recebia Fernando Miguel, o goleiro da temporada passada.

Zeca (lateral) – Rescindiu com o Internacional e assinou um contrato nos moldes de Vanderlei: por produtividade, até o fim da temporada e com possibilidade de prorrogação caso atinja metas.

Ernando (zagueiro) – Chegou ao Vasco livre após termino de contrato com o Bahia. Seu vínculo com o Cruzmaltino é parecido com os de Vanderlei e Zeca.

Romulo (volante) – Campeão da Copa do Brasil de 2011, o jogador decidiu voltar para o Vasco mesmo com propostas do exterior. Também assinou contrato de produtividade até o fim desta temporada.

Michel (volante) – Chega por empréstimo do Grêmio até o fim desta temporada. Abriu mão de boa parte de valores financeiros com o time gaúcho para acertar com o Vasco.

Marquinhos Gabriel (meia) – Assinou com o Vasco até o fim desta temporada em contrato com moldes bem parecidos com os de Vanderlei, Zeca e Ernando e os demais.

Morato (meia) – Está emprestado pelo Red Bull Bragantino até o fim desta temporada.

Sarrafiore (meia) – Argentino chega por empréstimo do Internacional até o fim desta temporada.

Léo Jabá (atacante) – Chega por empréstimo do PAOK (GRE) até o fim desta temporada.

Daniel Amorim (atacante) – Chega por empréstimo do Tombense até o fim desta temporada.

Quem saiu

Talles Magno (atacante) – A jovem promessa de 18 anos foi vendida para o New York City (EUA) por R$ 42 milhões, mas o negócio pode chegar a R$ 63 milhões caso o atacante atinja metas no clube norte-americano.

Benítez (meia) – Chegou a um acordo de rescisão do empréstimo com o Vasco e foi emprestado pelo Independiente (ARG) para o São Paulo.

Fernando Miguel (goleiro) – Foi emprestado até o fim da temporada para o Atlético-GO, que paga a maior parte do seu salário.

Yago Pikachu (lateral) – Chegou a um acordo de rescisão com o Vasco e assinou contrato de três temporadas com o Fortaleza.

Henrique (lateral) – Chegou a um acordo de rescisão com o Vasco e tem proposta do Lyon, da França.

Neto Borges (lateral) – Fora dos planos, tentou sair via Justiça, mas perdeu em primeira instância. Emprestado pelo Genk, da Bélgica, até julho, retornará ao clube belga ao fim do contrato.

Marcelo Alves (zagueiro) – Não chegou a um acordo de renovação e foi para o Vitória.

Werley (zagueiro) – Entrou na Justiça contra o Vasco e cobra mais de R$ 8 milhões.

Léo Gil (volante) – Chegou a um acordo de rescisão e assinou com o Colo-Colo, do Chile.

Marcos Júnior (volante) – Chegou a um acordo de rescisão com o Vasco e está sem clube.

Carlinhos (meia) – Chegou a um acordo de rescisão com o Vasco e está sem clube.

Lucas Santos (meia) – Foi emprestado ao Brasil de Pelotas.

Gustavo Torres (atacante) – Chegou a um acordo de rescisão do empréstimo e foi devolvido para o Atlético Nacional, da Colômbia.

Ygor Catatau (atacante) – Não chegou a um acordo de renovação e foi para o Vitória.

Compra

Além de pagar os salários e dívidas, o Vasco também utilizou parte do dinheiro referente à venda de Talles Magno para o New York City (EUA) para comprar duas jovens promessas do clube: o meia Matías Galarza e o meia-atacante MT:

Matías Galarza – O jovem de 19 anos chegou ao Vasco ano passado, ainda para a equipe sub-20, emprestado pelo Olímpia (PAR) até janeiro de 2022, com uma opção de compra que poderia chegar até US$ 1 milhão (cerca de R$ 5,2 milhões) caso o Vasco resolvesse exercê-la ao fim do vínculo. Porém, Alexandre Pássaro conseguiu negociar bem com os paraguaios e resolveu adquiri-lo antecipadamente pela metade do preço: US$ 500 mil (cerca de R$ 2,6 milhões) por 60% dos direitos econômicos. O contrato do meia agora é até dezembro de 2025.

MT – Chegou ao Vasco em 2019, ainda para a equipe sub-20, emprestado pelo Volta Redonda. O Cruzmaltino pagou R$ 600 mil por 70% dos direitos econômicos do jovem e assinou contrato até dezembro de 2024.

Cano é a estrela remanescente

Valorizado mesmo com o rebaixamento na temporada passada, Germán Cano é a estrela remanescente no elenco. Adaptado e feliz no Vasco e no Rio de Janeiro, ele quis continuar e é o jogador mais querido pela torcida. Assim como no ano passado, segue marcando gols e é o artilheiro do time com sete gols em dez partidas até aqui. Seu contrato com o Cruzmaltino termina no fim de 2021 e o clube tem planos de renová-lo.

Pimpão é a atração do Operário

No elenco do Operário que atuará em São Januário há um jogador que é conhecido do torcedor vascaíno: o atacante Rodrigo Pimpão, que atuou no Vasco de 2009 até o início de 2010. Anunciado pelo time paranaense no início da semana, ele já foi regularizado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e deve iniciar a partida no banco de reservas.

Outro jogador que faz parte do plantel do Operário e que passou por São Januário é o meia Pedro Ken. O jogador, no entanto, está lesionado e não foi relacionado para o duelo.

Fonte: UOL

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠