CBF planeja para setembro liberação conjunta do público em suas competições

Com a progressiva liberação de público nos estádios em algumas cidades brasileiras – Belo Horizonte e Rio de Janeiro foram as última a indicar o caminho – a CBF finaliza seu protocolo sanitário para se adequar às exigências das autoridades e promover uma autorização conjunta para suas competições, o Brasileiro e a Copa do Brasil, até setembro.

O prazo já havia sido estabelecido e enviado às federações estaduais nos últimos dias, mas agora a entidade pretende fazer reuniões com elas e com as autoridades municipais e seus comitês científicos para viabilizar as primeiras partidas em que ao menos parte dos estádios esteja liberada para torcida.

Até agora, o Rio sinalizou autorização para 50% do público em setembro. Belo Horizonte anunciou 30% liberado, Cuiabá, 35% e Brasília, 50%. Outros locais, como Santa Catarina, também discutem o tema. A CBF aguardará um pouco mais para alinhar tudo e garante que não vai autorizar o público sem que as autoridades o façam anteriormente.

– A CBF tem o seu protocolo com premissas seguramente não conflitantes com as exigências das autoridades sanitárias. A decisão final sempre caberá a elas ! Com nossos dados de “matriz de segurança” e o protocolo definitivo em mãos pretendemos nos reunir via Federações Estaduais com os as autoridades estaduais e municipais ou os Comitês responsáveis para podermos viabilizar as partidas do projeto piloto – explicou o Presidente da Comissão de Médicos da CBF, Jorge Pagura, que coordena o retorno.

Caso haja possibilidade de liberação de torcida em um local e em outro não, a CBF se preocupa em tentar manter a isonomia e o equilíbrio das competições. Uma das alternativas seria alterar o local do jogo do mandante para onde fosse possível fazê-lo com público, para que não haja necessidade de liberação de todos os locais.

– Por isso a resolução deverá ser conjunta tão logo estejam definidos os classificados e os jogos. Ou alterar o local do mandante para onde seja possível. Temos ainda quase um mês e felizmente, esperamos , não só para a volta do público, mas para controle da pandemia, que os índices estejam bem mais favoráveis – projetou o médico.

– O trabalho será conjunto! CBF – Federações -Clubes e autoridades, que detém o poder de autorizar ou não as partidas com a presença de público e seus percentuais. Quanto a eventuais diferenças percentuais que por ventura possam ocorrer entre as cidades, será competência do Departamento de Competições , que participa do Comitê, equacionar com os clubes – finalizou Pagura.

O protocolo sanitário da CBF leva em consideração também as taxas de transmissão e do número de casos novos por milhão de habitantes, de preferência abaixo de 100 por milhão/habitantes.

Para chegar ao percentual de público permitido, a CBF usará uma matriz de risco desenvolvida por especialistas. Nele, cada dado tem um peso diferente e, por meio de uma equação, as faixas são estabelecidas. Por exemplo, se a sede da partida tiver uma taxa de 60%/70% dentro dos parâmetros escolhidos, o estádio poderá receber somente 10%. A entidade também analisa casos recentes como a Eurocopa e o jogo do Flamengo na Libertadores, em Brasília, para comparar e melhorar o protocolo.

Apesar de a decisão de permitir o público seja das autoridades públicas, a CBF pretende apresentar o estudo de segurança e achar um denomidador comum. Algumas medidas, no entanto, são colocada pela entidade para o funcionamento dos estádios com torcida. Entre elas estão: uso de máscara, medidas de distanciamento para uso de banheiros e consumo de comida e bebida, compra de ingresso com antecedência e a apresentação de certificado de vacina e teste de PCR negativo (estuda-se a introdução do antígeno).

Para evitar o que aconteceu na final da Copa América, com torcedores utilizando testes negativos de Covid-19 falsificados, a CBF elabora propostas que evitam fraudes. Como a validação do resultado do teste PCR com laboratório escolhido pela entidade. Os ingressos também devem ser numerados e com o assento marcado. A vacinação completa pode ser verificada pelo aplicativo do ministério da Saúde. Com autorização dos usuários, essas medidas também facilitariam a possibilidade de rastreamento epidemiológico.

Fonte: O Globo Online

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠