Ex-técnico de Jhon Sánchez diz que atacante ‘precisa de apoio e carinho para poder render a um alto nível’

O torcedor do Vasco acordou nesta segunda-feira com novidade logo cedo: o clube anunciou a contratação do atacante equatoriano Jhon Sánchez, 22 anos, que será emprestado por um ano pelo Independiente del Valle, com a opção de compra em definitivo prevista ao fim do contrato. Trata-se de um jogador bastante habilidoso, veloz, mas que precisa de espaço para render seu máximo.

Revelado pelo Manta FC, clube bastante jovem (foi fundado em 1998) que atualmente joga a Segunda Divisão no Equador, Jhon chegou ao Independiente del Valle ainda nas categorias de base. Em 2018 foi cedido ao Alianza Cotopaxi, clube situado na cidade de Latacunga que funciona como uma espécie de time B do Del Valle.

O início de sua trajetória no profissional do Independiente del Valle se deu em 2019, ano em que ele despontou e foi um dos principais jogadores na campanha que culminou com o título da Sul-Americana. Hoje no Charlotte FC dos Estados Unidos, Miguel Ángel Ramírez foi seu treinador naquele time.

“O Jhon é um menino muito bom, sério e responsável. Mas precisa de apoio e carinho para poder render a um alto nível. Necessita se sentir importante, valorizado”, disse ao ge o técnico espanhol.

– Ele é excessivamente rápido, ataca muito bem os espaços. Só tem mais dificuldade em espaços curtos, porque o primeiro domínio não é muito bom, não tem o um contra um bom em espaços curtos ou driblando. Precisa de espaço, aí sim ele se destaca – completou Ramírez, acrescentando que “é benéfico para ele um jogo mais físico e menos técnico”, como é muitas vezes o caso da Série B do Brasileirão.

Na campanha da Sul-Americana 2019, Jhon Sánchez fez três gols: um nas quartas de final contra o Independiente, um na semifinal contra o Corinthians e outro na final contra o Colón. Os dois últimos foram parecidos e sublinham a característica que é o ponto forte do atacante: a disparada pelo lado esquerdo, sempre carregando para o meio para poder finalizar de perna direita, a famosa diagonal.

Na fase de grupos da Libertadores do ano passado, Sánchez fez um gol de letra contra o Flamengo, o quarto da equipe na goleada por 5 a 0 no Equador. Ao todo, ele disputou 94 partidas com a camisa do Del Valle e marcou 10 gols. (Veja os gols contra Flamengo e Corinthians no vídeo que abre a matéria).

“Tem muita projeção no ataque”

Escorado principalmente sobre a grande temporada que fez em 2019, Sánchez foi convocado pela seleção do Equador para o Pré-Olímpico disputado em janeiro de 2020. Ele atuou em todas as quatro partidas da primeira fase, mas a equipe acabou sendo derrotada em todos os jogos (contra Venezuela, Chile, Colômbia e Argentina) e não conseguiu vaga para as Olimpíadas.

O atacante vinha sendo bastante utilizado no Del Valle até a saída de Miguel Ángel Ramírez para o Internacional. Sob o comando do português Renato Paiva, ele perdeu espaço – a última partida em que foi a campo foi na vitória sobre o Aucas no dia 14 de agosto, pelo Campeonato Equatoriano, quando entrou quase nos acréscimos do segundo tempo.

– Ele é um jogador muito habilidoso, é um extremo pela direita, tem velocidade e muita saída pela ponta. A característica dele é ganhar no último terço do campo e chegar na perna contrária, fazendo as diagonais. Sánchez tem muita projeção no ataque, é um jogador interessante – descreve o jornalista Braian Avalos, da rádio equatoriana “Mundo Deportivo”.

– Hoje ele perdeu espaço no Independiente, não por ser um mau jogador ou por não ter boas condições, mas os outros estão adiante mesmo, estão em um nível excepcional – completou ele.

Para o jornalista, Sánchez só fica devendo quando demandam a ele dedicação na marcação.

– Quando joga de marcador, ele custa um pouco a fazer essa recomposição, é isso que pesa contra ele. Não tem muito essa característica de defender, mas da metade do campo adiante, é muito habilidoso. Eu o considero um grande jogador – concluiu.

Fonte: ge

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠