Paulinho fala sobre preconceito com sua religião; veja vídeo

Campeão olímpico com o Brasil em Tóquio, Paulinho tem uma forte ligação com o candomblé e a umbanda, e faz questão de dar visibilidade ao tema. Como gosta de afirmar, “Nunca foi sorte, sempre foi Exu”.

Após o título no Japão, Paulinho contou, com exclusividade com ao OneFootball, por que é um atleta engajado e também comentou a relação com colegas de trabalho, que, muitas vezes, evitam se posicionar publicamente. 👇

“O preconceito vem da ignorância, da falta de conhecimento e de informação. Algumas pessoas não buscam [se informar] e acabam tendo essas atitudes preconceituosas.”
PAULINHO, ATACANTE DO BAYER LEVERKUSEN

Sobre os haters nas redes sociais, o atacante do Bayer Leverkusen afirma que apenas ignora os comentários maldosos, pois o impacto que sua voz gera já é importante para combater o preconceito.

“Tem muita gente que se expressa e não é famoso, mas eu sou. Então, dá repercução, mas eu faço de coração, com muita naturalidade. Por todo preconceito que a minha religião tem na sociedade, eu fico feliz pelo impacto positivo [das minhas ações].”
PAULINHO, ATACANTE DO BAYER LEVERKUSEN

Fonte: OneFootball

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠