Goleiro Fábio, hoje no Cruzeiro, relembra passagem pelo Vasco

Embora campeão carioca pelo Vasco em 2003, o goleiro Fábio, ao longo dos anos foi desenvolvendo uma antipatia no torcedor vascaíno. A última desavença foi após comentário do atleta sobre rebaixamento: “depois caem e ficam chorando”.

No entanto, apesar da relação bem desgastada, Fábio não deixou de relembrar sua passagem por São Januário. E fez questão de rememorar pênalti defendido em cobrança de ninguém mais ninguém menos do que o ídolo Edmundo, que na ocasião defendia o Santos.

Em carta publicada pelo The Players Tribune, o goleiro falou da ida para o Vasco:

– Fiquei um mês no União e fui pro Vasco como segundo reserva também. Eu tinha 19 anos. O titular era o Helton. Num Vasco x Vitória em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro, eu fiquei pela primeira vez no banco, porque o reserva imediato estava machucado. O Helton, que já era o Helton, ídolo da torcida, sentiu o joelho no intervalo. Quando o time volta pro segundo tempo, quem está no gol? Eu. Esse jogo foi até tranquilo. Só que no domingo tinha o Santos na Vila Belmiro. A partida das quatro da tarde, com televisão, todo mundo ligado nela porque o Edmundo tinha brigado com o Romário e ido pro Santos. Meu primeiro jogo como titular no futebol profissional.

Esta é uma informação importante. A primeira partida do goleiro Fábio como titular foi pelo Vasco da Gama. Ele que antes do Vasco veio do interior paranaense, do União Bandeirante.

– E esse jogo contra o Santos foi “o primeiro do Edmundo contra o Vasco desde a briga com o Romário. Do meu lado, a ansiedade que senti naquele dia eu nunca mais deixei de ter. É a mesma em todo jogo desde então. Todo. Qualquer estádio, qualquer competição, qualquer adversário. Depois a partida começa, e conforme eu vou tomando conta do meu deserto a ansiedade passa. Mas antes do juiz apitar o início é duro. E eu me sinto do mesmo jeito ainda hoje, sempre, mais de 20 anos depois. Pegar pênalti é uma dádiva que não tem comparação.

A ansiedade do garoto que defendeu pênalti de um ídolo do próprio Vasco continua até hoje. E sobre o jogo na Vila e o momento que Edmundo caminha pra cobrança, Fábio diz que: “estou lá como titular nesse Santos x Vasco especial. Pênalti pro Santos. O Edmundo vem caminhando pra bater. No gol, o desconhecido Fábio, de 19 anos. O ex-roupeiro, mascote e engraxate de Nobres. O Edmundo chuta, eu defendo. O juiz manda voltar. Ele chuta de novo. Eu vou nela de novo. Dessa vez na trave e pra fora. O jogo termina 1 a 1, pra alegria das mães de goleiros, especialmente pra minha. Cinco anos depois, quando termina a minha história no Vasco, eu tinha três propostas sobre a mesa: do Santos, do Atlético-PR e do Cruzeiro.

Pelo Vasco da Gama, Fábio esteve no elenco campeão brasileiro e Mercosul em 2000, mas era terceira opção. Foi em 2003 que o goleiro se destacou e acabou sendo campeão estadual. Pelo Gigante da Colina teve um total de 150 partidas.

Veja o pênalti ao qual se referiu o goleiro Fábio:

Fonte: Papo Na Colina

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠