Lisca relembra saída do Vasco: ‘Um dia eu vou voltar, mas em uma outra situação, onde eu possa construir e treinar’

Com uma curta passagem no comando do Vasco da Gama, o técnico Lisca falou sobre os bastidores do período em que comandou o Gigante da Colina em entrevista ao canal do Youtube ‘O Bairrista’. Já sabendo que sua situação era praticamente insustentável, o profissional afirmou que pediu para sair pois já sabia quem seriam os principais candidatos a assumir o cargo.

“O resultado tem que ser a curto prazo e o resultado não foi bom a curto prazo, nós perdemos cinco jogos de dez que eu fiz na Série B, ganhamos quatro e um empate. Aí eu falei que, em vez de fazer toda essa confusão e mexer (no time), é melhor eu sair. Eu sabia que eu saindo, ia vir o Guto (Ferreira) ou (Fernando) Diniz, conversando com o Pássaro. Eu não podia ser mandado embora do Vasco porque já tinha sido uma demissão e teria uma multa rescisória”, contou.

Ainda segundo o treinador, o pedido partiu de sua própria iniciativa por conta dos maus resultados. “Eu tinha apoio da torcida. Não tive problema nenhum com jogador. Mas não vieram os resultados a curto prazo. E eu achei assim mais viável, né? Vir um outro treinador, ou Guto ou Diniz, e zera tudo. Nova oportunidade para aqueles que falharam, não precisa tirar e vamos ver o que vai acontecer. E aí o Nenê já ia vir também”.

Por fim, o treinador ainda elogiou a montagem do time feita por Fernando Diniz, com destaque para a mudança de posição de Marquinhos Gabriel na equipe, a entrada de Nenê e a melhor dos números no setor defensivo. “A coisa melhorou e eu tomei a decisão certa. E um dia eu vou voltar, mas em uma outra situação, onde eu possa construir e treinar”, encerrou Lisca.

Fonte: Antenados no Futebol

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠