Carlos Osório fala sobre o interesse do Vasco na licitação do Maracanã

O Vasco reafirmou nesta semana a decisão de participar do processo de licitação do Maracanã. O presidente Jorge Salgado esteve com o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, buscando alguns esclarecimentos sobre o edital, publicado na primeira semana de outubro. Participaram também da reunião técnicos da Secretaria de Estado da Casa Civil e o 1º vice-geral do clube, Carlos Roberto Osório, que falou com exclusividade ao Jogada10.

O ponto que causou mais dúvidas quanto ao edital é o número mínimo de 70 jogos por temporada no Maracanã, tendo ainda a obrigatoriedade de 54 delas serem de competições de elite, como Brasileiro das Séries A e B, Copa do Brasil, Libertadores e Sul-Americana. Osório afirmou que o clube concordou com os termos, tendo em vista a obrigatoriedade de ter, no mínimo, dois clubes grandes no consórcio.

“O Vasco concorda, acha correto o Estado colocar um limite mínimo de 70 jogos no Maracanã, obrigando também a participação de pelo menos dois clubes grandes no consórcio. O Vasco entende que é possível e pelos esclarecimentos que a gente recebeu, qualquer combinação entre os quatro grandes do Rio, atendem a exigência do edital. Com essa regra, o Vasco fica confortável e acha correto”, afirmou Osório, que destacou que os clubes serão protagonistas no novo processo licitatório.

“Se pode montar também um consórcio com três ou até mesmo com os quatro grandes clubes. Essa possibilidade ampla de participação dos clubes, o Vasco vê de maneira positiva a intenção do governo de dar protagonismo aos clubes, diferentemente da primeira licitação, que tinha uma característica voltada para as empresas serem protagonistas’.

Osório explicou ainda que a obrigatoriedade de se realizar 70 jogos é apenas uma condição para participar da licitação. O dirigente afirmou que os clubes envolvidos no consórcio, no mínimo dois, preenchem esse requisito.

“Os 70 jogos são uma exigência de habilitação para participar da licitação. Ou seja, tem que ter dois clubes que tenham, na sua carteira de direitos esportivos, 70 jogos, que correspondem ao Carioca, Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores e Sul-Americana que eles têm o direito de disputar. Isso não quer dizer que os clubes disputarão todos os seus jogos no Maracanã, porque o Maracanã pode receber jogos da Seleção Brasileira, de outros clubes que não estejam no consórcio. Os clubes que fazem parte do consórcio, não necessariamente jogarão todos os seus jogos no Maracanã”.

Como o Vasco tem São Januário para mandar os seus jogos, havia a dúvida sobre o futuro do estádio caso o Cruz-Maltino seja um dos administradores do Maracanã. Osório foi taxativo quando a isso e afirmou que todas as partes estão cientes de que o time vai jogar nos dois estádios.

“O Vasco já informou ao estado e aos outros clubes, que não jogará todos os jogos no Maracanã. O Vasco vai fazer um mix, entre Maracanã e São Januário. Não há definição de quantidade, podendo mudar de temporada para terporada.

Audiência Pública

Carlos Roberto Osório garantiu a presença do Vasco na Audiência Pública que será realizada na próxima quarta-feira. Um dia antes, o clube vai enviar, por escrito, todos os comentários, dúvidas, sugestões e solicitações em relação ao processo licitatório do Maracanã. O dirigente revelou que apenas alguns pontos precisam ser acertados.

“O Vasco tem algumas situações para alinhar, como valores de autorga. O clube entende que o edital pode ser aprimorado, mas a questão básica, que é a exigência mínima de jogos, o Vasco está de acordo. O Vasco entendeu, com os esclarecimentos que nós recebemos, que as exigências comportam qualquer combinação entre os quatro grandes e a gente acha isso o correto. Reafirmamos a nossa decisão de participar do processo licitatório”.

Próximos passos

Após a Audiência Pública da próxima quarta-feira, sobre a licitação do Maracanã, o Governo do Estado estima que vai precisar de 30 a 45 dias para analisar todas as dúvidas e sugestões recebidas no encontro. Há também a necessidade de tempo para a Procuradoria Geral do Estado e o Tribunal de Contas analisarem e aprovarem o edital. A partir disso, o Estado lançará o edital definitivo, com todo o regramento do processo licitatório. A expectativa é que seja publicado em dezembro ou no início de janeiro.

Neste período, de 30 a 45 dias, o Vasco vai se movimentar para estreitar as relações com os clubes do Rio e empresas para a criação do consórcio. Osório revelou que essas conversas ainda estão em estágio inicial, mas vão se intensicar após a Audiência Pública.

“O próximo passo após o dia 27 é o estreitamento com os demais clubes do Rio de Janeiro e também com parceiros privados interessados na participação e investidores estratégicos. A gente imagina que teremos uma audiência esclarecedora. As conversas estão no estágio preliminar porque estamos aguardando as regras definitivas do edital. A partir da audiência púbicas, as conversas vão se intensificar. O Vasco entende que o modelo ideal, se possível, tem que ter a participação dos quatro grandes clubes, tendo o mesmo entendimento. É o melhor para o futebol carioca”, finalizou o dirigente.

Fonte: Jogada 10

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠