Ameaçado de rebaixamento para a Série C, Remo encara como decisão o jogo desta 6ª-feira contra o Vasco

Nem o mais pessimista torcedor vascaíno iria imaginar que, faltando duas rodadas para o término da Série B, o Vasco estaria apenas cumprindo tabela, já sem chances matemáticas de acesso. Isto novamente acontecerá hoje (19), às 19h, em São Januário (RJ), quando o clube cruz-maltino será anfitrião “coadjuvante” diante do Remo, desesperado na luta contra o rebaixamento à Série C.

Atualmente, a equipe paraense soma 41 pontos e na 16ª colocação, apenas uma acima da temida zona de degola e com a mesma pontuação do Londrina, que é o 17º, ficando à frente somente pelos critérios de desempate.

Enquanto no Vasco o clima é de melancolia, no Leão do Pará o jogo é encarado como uma verdadeira decisão, com os torcedores tendo feito festa e demonstrado muito apoio ao elenco no embarque da delegação no aeroporto de Belém (PA).

Caso, por exemplo, o Remo vença a partida, uma combinação de resultados na rodada já poderá, inclusive, garantir a permanência do clube matematicamente antes da última partida da competição. Para isso, além dos três pontos, o time paraense precisa torcer por uma derrota do Londrina contra o Vila Nova e que o Vitória não vença o jogo diante do CRB.

Clima de “fim de festa” no Vasco

Já no Vasco o clima é de “fim de festa”. A tendência é a de que São Januário receba um público bem baixo — porém crítico — e que a equipe já não conte com alguns medalhões que não vingaram na temporada. Com o auxiliar Fábio Cortez de interino após a demissão do técnico Fernando Diniz, o Cruz-Maltino deverá ter muitos jovens formados na base atuando já num processo de preparação para 2022.

Após não conseguir o acesso, o Vasco demitiu também o diretor-executivo de futebol, Alexandre Pássaro. A diretoria ainda não repôs nenhum dos dois cargos.

Fonte: UOL

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠