Feminino: Vasco lamenta situação da modalidade e diz que ‘tem trabalhado incansavelmente em busca de uma solução’

As redes sociais testemunharam hoje (4) uma série de denúncias de precariedade no futebol feminino do Vasco. São relatos de salários atrasados, falta de materiais esportivos, alimentação e de condições adequadas de treinamento, preparação física e prevenção.

O UOL Esporte encaminhou as denúncias ao clube com o respectivo link, mas preferiu preservar, nesta reportagem, a identidade de quem as publicou. Por meio do departamento de Relações Públicas, o Cruzmaltino não negou as acusações, e respondeu que tem “trabalhando incansavelmente em busca de uma solução”.

“O clube lamenta, e informa que tem trabalhado incansavelmente em busca de uma solução para regularizar a situação o mais rápido possível”, diz o comunicado encaminhado à reportagem.

Embora seus vencimentos sejam considerados baixos, as jogadores do Vasco estão há três meses sem receber. A falta de esperança em uma melhora na situação fez com que três delas deixassem o clube recentemente: as atacantes Anny, Bebel e Dani Barão, trio conhecido como as “Bad Girls”.

Em 2021, o Vasco caiu nas semifinais do Campeonato Carioca e nas oitavas de final do Campeonato Brasileiro A-2.

Jorge Salgado prometeu “maior orçamento do Brasil no feminino”

A situação atual do departamento se torna estarrecedora se comparada às promessas de campanha do grupo político “Mais Vasco”, que foi a base de apoio para Jorge Salgado se tornar presidente ano passado.

No site oficial da “MV” ainda é possível encontrar o tópico que falava dos investimentos projetados para o futebol feminino. O texto destaca:

“(Com Jorge Salgado, seremos o clube de maior investimento no futebol feminino, com quase R$ 15 milhões nos três primeiros anos de gestão. Já seremos no primeiro ano o maior orçamento entre os principais clubes. Teremos um time de ponta para colocar as meninas do Vasco no melhor nível profissional para ter retorno em títulos.”

Ainda no comunicado, a “Mais Vasco” diz que quem comandará o departamento de futebol feminino será Pretinha, uma das maiores jogadores do país e a principal artilheira da história do clube, onde jogou de 1993 a 2000:

“A revolução não será apenas financeira, mas também ideológica e estrutural. Para liderar o departamento, teremos ninguém menos do que uma das maiores craques do futebol brasileiro e mundial. Pretinha será o grande nome da gestão do nosso departamento.”

Passado um ano, porém, tudo não passou de promessa. Em entrevista à repórter Camila Carelli, da “Rádio Globo”, em dezembro de 2021, Pretinha disse que ainda aguarda o convite.

“Infelizmente, neste ano, não teve como ter o acerto, mas eu estou aguardando, aberta a conversas para o ano que vem para ver se acontece. Estou à disposição, sempre deixei bem claro que quero ajudar, poder fazer da melhor maneira possível o mesmo que fizeram por mim e pelas minhas companheiras na época em que joguei no Vasco. Estou esperando que se concretize no futuro”, declarou a ex-jogadora.

Fonte: UOL

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠