Yuri Lara: ‘Fico muito feliz por estar vestindo hoje essa camisa’

O primeiro reforço do Vasco para a temporada 2022 foi apresentado oficialmente nesta segunda-feira, no CT Moacyr Barbosa. Em entrevista coletiva, o volante Yuri Lara, nascido no Rio de Janeiro e de família vascaína, explicou a campanha feita na internet para que ele fosse para o Vasco.

– Deve ter uns cinco anos que meu primo (Luís) está aí fazendo campanha na internet para que o Vasco me contratasse (risos). Muita coisa chegava ao meu conhecimento por meio da internet. Não sei o quanto isso influenciou. Agradeço ao meu primo, ao Carlos Brazil e todos que acreditaram no meu futebol – disse ele, bem humorado.

– Como eu falei, jogar no Vasco era um sonho distante. Nunca tive proposta do Vasco. Joguei muito tempo no Olaria e nunca surgiu a oportunidade. Hoje, aos 27 anos, creio que no auge da minha carreira, fico muito grato. Minha família toda é vascaíno, ia muito para os jogos com meus primos – afirmou ele, que diz se espelhar no argentino Guiñazu:

“Na casa dos meus pais, na Pavuna, fui acordado às 9h com fogos por amigos vascaínos. Fico muito feliz por estar vestindo hoje essa camisa”, completou.
Perguntado sobre jogadores históricos que atuaram no Vasco com a camisa 5, Yuri disse que se espelha em um em especial: o argentino Guiñazu.

– Guiñazu é o mais recente (camisa 5). Cara que tinha aprovação da torcida, deixava tudo em campo. Espero fazer o mesmo que ele fez com a camisa do Vasco – concluiu.

Natural do Rio e vascaíno desde a infância, Yuri Lara é cria das divisões de base do Olaria e passou por Bahia, Ferroviária (SP), Oeste (SP) e Tochigi (JAP). No CSA, apareceu com destaque no cenário nacional nas temporadas de 2018 e 2021. O jogador de 27 anos assinou contrato com o Vasco até o fim de 2022.

Cobrança da família vascaína

– O pessoal é rigoroso. Mas se fosse só uma parte da família, seria tranquilo. Mas a família por parte de pai e por parte de mãe é vascaína. A cobrança é em dobro (risos).

Lembranças da arquibancada

– Entendo o lado do torcedor. Já fui um. Quando comecei a jogar no Olaria, eu não tinha mais tempo para ir ao estádio. Fui no último jogo antes de fechar o Maracanã. O Felipe deu uma canetinha no Borja, contra o Flamengo. Eu era um torcedor que cantava. E sei que se fizermos a nossa parte em campo, a torcida vai apoiar.

Primeiro ou segundo volante?

– Sempre fui primeiro volante. Mas o Mozart me adiantou um pouco no CSA e deu certo. Fiz três gols. Sou um jogador mais marcados, mas não me limito a marcar. Vai depender do que o Zé Ricardo e o Vasco precisarem.

Grupo com fome

– Dá para ver no dia a dia que quem está aqui está com fome de fazer o Vasco voltar a seu lugar. Não vai ser fácil. Vai ser um ano longo. Mas quem está chegando está com fome. Temos pouco tempo de trabalho. Mas dá para perceber que é um grupo de caras guerreiros. Espero de coração que a torcida nos apoie. Sabemos da força da torcida. Confie. É um grupo que está sendo formado para levar o Vasco de volta para a Série A.

Série B

– Série B é uma competição difícil, tem que ter garra. Espero ajudar a levar o Vasco para onde não deveria ter saído. O Vasco passou por anos difíceis, mas está se reestruturando e esse grupo está focado em voltar.

Principais adversários na Série B

– É muito difícil falar sobre adversários. Tem Cruzeiro, Chapecoense, Sport, Grêmio, CSA, CRB. É muito difícil citar um oponente numa competição com a Série B. Espero que uma das vagas seja nossa.

Mensagem para Roberto Dinamite

– Desejo profunda melhoras para ele. Tenho uma tia com câncer, que passa por uma situação parecida. Ele vai ficar bem e pode contar conosco. Torcida e oração não vai faltar

 

Fonte: ge (texto, foto), Facebook oficial do Vasco (vídeo)

Felippe Rocha @28FelippeRocha
Yuri Lara, camisa 5. #lanceVAS

Fonte: Twitter do jornalista Felippe Rocha/Lance

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠