Ex-Vasco, Kléber Gladiador exalta torcida e critica gestores; confira vídeo

Arena Cruzmaltina @are_cruzmaltina
Kléber Gladiador falando verdades!

(🎥 Podcast do Gladiador)

Fonte: Twitter Arena Cruzmaltina

Kleber Gladiador dispara: “As gestões não têm um pingo de respeito com o Vasco”

Na última segunda-feira, o atacante Kleber ex-Vasco, comentou sobre sua passagem pelo cruz-maltino, em seu próprio podcast. O jogador comentou das dificuldades que passou com a camisa do Gigante e elogiou a torcida: “absurda.”

Gladiador chegou ao Vasco em 2014. Vindo do Grêmio em um contrato de empréstimo, chegou para disputar a série B daquele ano.

“Eu saí do Grêmio por conta das lesões, e fui pra passar um tempo lá no Vasco, respirar novos ares.”

No ano da Copa do Mundo no Brasil, o Vasco cedeu São Januário à FIFA, para que as seleções pudessem treinar. Contudo, o cruz-maltino ficou sem lugar para suas atividades.

“São Januário e o CFZ, estavam destinados a FIFA. E essas áreas, destinadas a FIFA, ninguém pode entrar, então o Vasco não tinha lugar pra treinar.”

A alternativa, foi o estádio Eustáquio Marques, em Curicica, Zona Oeste do Rio. O campo ficou conhecido por ser sede do “Divino FC”, time fictício da novela Avenida Brasil, da Globo. O local foi demolido em 2015, para a construção do Viaduto de Curicica, que dá passagem ao BRT Transolímpica.

“E o campo era ruim, mano ‘cê é louco’. Eu não sei como eu não torci o tornozelo naquele campo. A grama era muito alta, cheio de buraco.” – disse Kleber.

Na volta a São Januário, os problemas permaneceram e a crise ficava ainda mais evidente. O atacante elogiou a torcida do Gigante, mas fez críticas às gestões que passaram pelo cruz-maltino.

“Vasco com vários problemas administrativos. Sinceramente, eu fico triste. A torcida do Vasco era gigante, mano. Era absurda. Onde a gente ia jogar, nordeste, e no Rio eu nem preciso falar, né? Tanto é que no jogo que eu fiz o gol que subiu, o Maracanã estava abarrotado de gente. Mas os caras não têm um pingo de respeito com o Vasco. Diretor, presidente, sei lá, a galera não tem respeito com o Vasco, [eles] não tem ideia do quanto o Vasco é grande.”

E continuou dizendo:

“Era maior bagunça o Vasco, com todo o respeito, mas era muito bagunçado. A gente foi tomar banho uma época e não tinha energia elétrica, cortaram.”

Apesar das dificuldades, o Vasco subiu naquele ano, e chegou nas oitavas de final da Copa do Brasil. Gladiador atuou em 27 jogos e fez seis gols, um deles contra o Icasa, consolidando a volta à elite nacional.

Fonte: Papo Na Colina