Árbitro Marcelo de Lima Henrique inclui Edmundo, Felipe e Juninho Pernambucano em lista de jogadores ‘difíceis’; confira vídeo

Um dos árbitros mais experientes apitando jogos no Brasil atualmente, Marcelo de Lima Henrique participou de uma entrevista ao Charla Podcast e revelou quais são os jogadores mais difíceis de trabalhar no futebol brasileiro.

O nome do atacante Gabigol foi apontado com “sanguíneo” e “mental”, mas o camisa 9 do Flamengo não é o pior, segundo o juiz carioca.

“(Gabigol) é um jogador muito sanguíneo, muito mental. Vi um pouco do jogo ontem (Flamengo x Talleres, na terça), e liguei (a TV) na hora que ele estava tomando cartão amarelo por causa de um entrevero. Logo em seguida, ele fez uma falta. Você viu como o semblante dele mudou? Tem jogador que precisa tomar cartão amarelo para jogar bola, tem que ter um limite”, disse.

“Mas é um grande jogador e nunca tive problema com ele. Tem o jeito dele de jogar, tem a resenha dele…”, completou.

Marcelo Henrique não coloca Gabigol entre os mais complicados de atuar e cita outros que já se aposentaram como bem piores, como Juninho Pernambucano e Felipe, além de Fred, que defende o Fluminense atualmente.

“Temos piores pelo caminho. Loco Abreu é um jogador difícil. Não tinha ideia. Se você falava com ele, ele aumentava o tom… Renato Abreu, do Flamengo, Juninho Pernambucano no final de carreira, muito difícil. Felipe, do Vasco. O Edmundo no início (de carreira) foi muito difícil, mas depois ajudou a arbitragem. Fred começou muito difícil, mas é muito inteligente. Ele faz o raio-x de quem está apitando”, finalizou o árbitro, que atualmente integra o quadro de arbitragem da Federação Cearense de Futebol.

Fonte: Torcedores.com